Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

segunda-feira, 23 de março de 2009

QUERO-TE

Quero-te
Assim….simples.
Quero-te, humilde, sereno, tranquilo como uma tarde no Alentejo;
Pleno como o Alqueva, sorridente como o Sol, enorme como o Céu que enche de azul os dias…
Quero-te
Assim…Forte.
Capaz de me elevar nos braços e proteger de todo o mal;
Assertivo e linear como um poema de Sophia;
Doce e doido, a 200 à hora numa moto de sonho; apreciando um bom vinho ao final da tarde; fumando um charro ao cair da noite.
Quero-te : SEGURO de que me queres; sem dúvidas, sem mágoas, sem “passados”, sem traumas.
Quero-te simples.
Como o casario branco e caiado das aldeias alentejanas;
Quero-te …a Dançar comigo a dança da vida.
Até que a música acabe.
Quero não ter medo de te amar, de me entregar, de entrar em queda livre directa aos teus braços.
Quero-te simples e forte.
Quero-te corajoso, sem medos, capaz de dizer:
“minha menina, EU, sou homem para ti!”

isabel

MATE-O!!!!!!

"_A maior vingança contra um inimigo é perdoá-lo. Mate-o dentro de si. _ Como assim? - indagou, com surpresa, o homem. _ Os fracos matam o corpo dos seus inimigos, os fortes matam o significado deles dentro de si. Os que matam o corpo são assassinos, os que matam o que eles representam são sábios."

Augusto Cury in " O Vendedor de Sonhos"

segunda-feira, 16 de março de 2009

AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES?? CLARO!!!

AVALIAÇÃO DE PROFESSORES???? – CLARO!!!!
Eu cá para mim faz-me confusão como é que este País é “ensinado” por uma cambada de incompetentes que estão mesmo a precisar é de levar umas boas “rabecadas” para não se armarem em bons!!!... E ainda me espanta mais que tenha sido necessário aparecer um governo socialista para descobrir a necessidade da avaliação dos chamados “setôres” e consequente castigo!!
Claro que é preciso avaliar professores : vá de pô-los a inventar “objectivos individuais” e outras coisas ainda mais abstractas para aprenderem a filosofar a partir do zero. Zero? Mas o que é isso?? Será que o conceito que os romanos nem conheciam é mesmo necessário??
Não há razão nenhuma para não se espremer os neurónios dos professores até se transformarem em espuma como se sofressem de BSE!!
Os professores devem ser torturados até ao esgotamento, até à desistência total, até à reforma antecipada!!!
Então não se vê a qualidade destes “professorezecos” quando hoje uma colega minha de 48 anos é sovada, pontapeada - e ofendida por uma “criancinha” de 13 anos???
Foram ouvidos os pais, claro, coitaditos, e …vai ser levantado um inquérito disciplinar!!!
ÓBVIO!! É muito importante descobrir o que é que a possível idiota da minha colega fez ou disse ao ponto de provocar uma reacção de tanta indignação por parte da “menina”!!!!
Ora se a miúda mandou a professora para o hospital alguma razão deve ter tido, não acham???
Cá para mim, quem está avaliado é este governo e mais grave do que isso: esta geração.
Não me vou cansar a discorrer sobre o assunto.
Não me apetece imaginar o que faria se fosse agredida por um aluno/a.


PS: espero que tenham visto nos telejornais a reportagem sobre a visita dos reis da Jordânia a Portugal. Torna óbvia demais a diferença entre a Monarquia e a república: os presidentes tentam “agradar” ao povo para serem reeleitos e manterem o tacho e prestígio;
Os reis vivem e sentem o dever de demonstrar o amor e a fidelidade à sua Pátria e ao seu povo acima de qualquer interesse pessoal – é essa a sua missão na Vida.
Tenho dito!!
Isabel

quinta-feira, 12 de março de 2009

O meu poema

Faz-me chorar Ajuda-me a sair desta dor como a borboleta se liberta do casulo;
Dá-me o teu ombro e simplesmente deixa-me encostar;
Diz-me que não faz mal ter medo do escuro, que posso ter saudade dos que partiram, que devo viver a nostalgia do que não vivi.
Diz-me que os teus braços fortes me amparam, que posso beber até cair, dançar até me perder, acelerar até o carro dar.
Diz-me que não tem mal ser a menininha da mamã, que é permitido precisar de mimos e colo.
Diz-me que não é obrigatório portar-me sempre como a Isabel II e que o rio que me corrói e estoira o coração, tem direito a alcançar a foz, no oceano da mágoa que me devora….
Diz-me…. Diz-me que sou uma menina pequenina e …ajuda-me a chorar.
Por favor.

isabel

segunda-feira, 9 de março de 2009

CARTA ABERTA À IGREJA CATÓLICA

Carta aberta à minha Igreja Católica
Fui baptizada, educada, crismada e casada segundo os Sagrados Sacramentos da minha amada Igreja.
Baptizei as minhas filhas, eduquei-as e educo-as na Fé de Cristo;
Não me limitei a ir pôr umas velinhas a Fátima a repetir ladainhas monótonas, nem fui descalça na procissão para toda a gente ver;
Dei o melhor de mim enquanto catequista com a preciosa colaboração da Noémia, do Bruno e do Sr. Padre Elias ;
Procurei sempre ter uma Fé sólida e esclarecida conhecendo as escrituras, nomeadamente o NOVO TESTAMENTO, lendo livros escritos por teólogos, cientistas, filósofos e pessoas que me podiam esclarecer as dúvidas;
Conheço rapazes que saíram do seminário porque não se sentiram lá acarinhados: _ “Tens dúvidas?? Sai uns anos e vai esclarecer a tua Fé!!” _ (para outro lado, claro, que aqui temos mais que fazer). Isto era o que diziam os seus Tutores – não sei se é este o nome que se lhes dá.
Não me diz muito, repetir Avé Marias 50 vezes : dá-me sono;
No entanto, quando entrei durante meia hora, isolada do mundo, num aparelho de ressonância magnética para avaliar o meu tumor cerebral, com um botão para pressionar em caso de pânico, só um nome me veio à cabeça e se repetiu vezes sem conta: Jesus. E esse Nome foi um tranquilizante mais potente que todas as benzodiazepinas que conheço, juntas.
No momento em que me perguntaram se eu não tinha medo de ficar sozinha num quarto com a minha mãe moribunda, arregalei os olhos de espanto porque onde há amor não existe medo e eu sei que Jesus a acompanhou.
Eu pecadora, milhares de vezes pecadora, me confesso: sou orgulhosa, irascível, “protestante”, exigente comigo e com os outros, vaidosa q.b., esbracejo, peço livros amarelos, e não engulo desaforos.
_ Mas até Jesus se “passou” um dia e….arrasou as bancas dos vendilhões do Templo, não foi??_
Tomo 5, às vezes 7 valiuns (10 mg)/ dia e mais um antidepressivo e estou à beira do maior esgotamento da história.
No fim disto tudo confesso que não tive coragem de cortar os pulsos com a faca do pão porque podia doer muito e além disso fazer uma grande javardice: sangue por todo o lado, blraaaghhhh!!
Tento sorrir todos os dias, para os meus alunos, para as minhas filhas e às vezes, com cara de parva, para a TV.
Perdi a minha mãe e atrás dela o meu pai e irmã.
Mantenho uma luta judicial com o meu ex marido, luta essa que quase no fim, - ironia do destino - , o advogado dele, morre.
Vou com o carro à oficina, vou ao Porto a Lisboa ao Algarve aonde o Diabo perdeu as botas para encontrar soluções para os problemas ou o melhor médico para as minhas filhas.
Habituei-me a lutar sozinha…Mas tive sempre a sensação de que…. não estava só.
A Fé move montanhas e a mim, moveu-me até agora.
Venha a Igreja Católica em peso chatear-me, que eu baixarei a cabeça e lerei o Novo Testamento.
_“Quando quiserdes orar não façais como os fariseus que tanto alarde fazem: fechai-vos no vosso quarto que Deus vos conhece.” É mais ou menos assim não é?_
Deus perdoou a mulher adúltera que há 2000 anos seria apedrejada.
Deus promoveu o encontro entre Judeus e Samaritanos que não se apreciavam por aí além.
Deus não nasceu nem morreu num palácio do Vaticano mas que se saiba num humilde estábulo.
Que diz a Igreja católica dos bem/mal casados que ao domingo vão à missa ostentando as suas famílias exemplares e que durante a semana passeiam as amantes e os amantes?
Deus não os condena: muito menos eu.
Não: Igreja Católica, excomungue-me se entender que não sou digna.
Não desertarei para os Manás nem para ao Protestantes.
Ficarei com a minha fé e com as palavras de Cristo: e portanto, MUITO BEM ACOMPANHADA.
Isabel

domingo, 8 de março de 2009

Acabei de saber que a minha sobrinha, do lado do meu ex marido, que vai agora ser baptizada e fazer a 1ª comunhão, foi pedir ao Pároco para eu ser sua madrinha. O padre que me conhece desde sempre, que é meu confessor, que sempre me acolheu em todos os momentos e que até me fez catequista já divorciada - dando logo azo a más linguas- o padre disse à minha sobrinha que eu não podia ser madrinha porque sou divorciada!!!!!! Que comentários?? Influências do Ratzinger?? Não sei, sei que estou muito triste e que comigo, não guardo para amanhã o que posso dizer/fazer hoje. Assim, enviei o seguinte mail para o meu padre. Gostaria de conhecer as vossas opiniões. Um beijo enorme!!! Isabel

"Sr. Padre X: Fiquei muito triste quando a Filipa me contou que a Beatriz tinha ido pedir para eu ser a sua madrinha de baptismo e pelo facto de eu ser divorciada não poder ser!! Que culpa tive do meu divórcio?? Fui eu que cometi a traição?? Eu adoro as minhas sobrinhas e tenho uma óptima relação com elas ..acho inacreditável que não me considere pessoa capaz de ser madrinha da menina. Mais uma vez não sei o que hei-de dizer a não ser que estou MUITO triste."
Isabel

DIA DA MULHER?????

Dia da mulher???

Que dia da mulher??
Que dia da mulher há para comemorar quando chegamos a casa estoiradas e nos esperam máquinas de roupa para estender, jantar para fazer e crianças para aconchegar e fazer TPCs?
Que dia temos para comemorar, quando os filhos são quase apenas responsabilidade nossa, quando os maridinhos vão curtir a vida, ou outros ao entrar em casa se sentam no sofá lendo “ a bola” e esperando que o jantar esteja pronto??
Que dia da mulher, quando continuam a morrer centenas de mulheres anualmente, vítimas de violência doméstica??
Que interessa o dia da mulher, quando a maioria dos homens nos continua a olhar como objectos e a tirar as medidas ao peito, anca e cintura e nem sequer nos olham como seres providos de neurónios activos??
Que interessa o dia da mulher, se quando um familiar adoece,seja sogra, sogro, avó ou primo é ela a acompanhar ao médico e a tratar as situações de doenças crónicas??
Que interessa o dia da mulher, quando em caso de doenças graves da mesma, os atrasados mentais com apêndice sexual são os primeiros a “pirar-se” para não assistir às cabeças carecas e aos tratamentos dolorosos?? (salvo raras excepções)
TRETA!!!
Dia da mulher??
Uma criança é violada, ela é que arrisca a vida no aborto e o abusador continua por aí??????
NÃO! NÃO! NÃO!!!
Não há nada para comemorar!!
Conseguimos direito a voto e ao divórcio _ de onde normalmente saímos prejudicadas_ enchemos as faculdades porque estudamos mais, mas o resto continua exactamente igual!!
Esta sociedade é machista e só quando deixar de o ser teremos algo para comemorar.

PS: Graças a DEUS que HÁ MAIS DE 2000 ANOS Jesus Cristo respeitou e gostou tanto da companhia das mulheres: não nos esqueçamos - até porque estamos na quaresma- , que Ele apareceu ressuscitado às mulheres…… Sim, porque são elas que vão ao cemitério tratar dos sepulcros.

8 março 2009-03-08
Isabel

sábado, 7 de março de 2009

A CRIANÇA EXCOMUNGADA!!!!!??????????????????

EU NÃO POSSO FICAR CALADA E DESTA VEZ TENHO QUE GRITAR!!!
1. SOU CATÓLICA, ACIMA DE TUDO CRISTÃ, E AS PALAVRAS DE CRISTO SÃO OS ALICERCES DA MINHA VIDA....(mas atenção, não sou Santa, ok???) 2. SOU CONTRA O ABORTO ASSIM COMO SOU CONTRA QUALQUER ATENTADO À VIDA.: NÃO MATO,,..._QUER DIZER AS FORMIGAS E MOSCAS TÊM RAZÃO DE QUEIXA,_ MAS OS SERES COM MAIS DO QUE UNS GÂNGLIOS NEURONAIS MERECEM O MEU RESPEITO!!!
3. ISTO A PROPÓSITO DE QUE FIQUEI COMPLETAMENTE ESCANDALIZADA, COM UMA ATITUDE DA MINHA IGREJA, DA DITA IGREJA CATÓLICA, AO EXCOMUNGAR UMA MENINA DE 9 ANOS QUE FEZ UM ABORTO SEM SABER QUE O FEZ - PENSA QUE FOI OPERADA A PARASITAS INTESTINAIS- PORQUE, REPAREM BEM, FOI VIOLADA PELO PADRASTO!!!!!!
4. RESUMINDO: A IGREJA CATÓLICA BRASILEIRA, EXCOMUNGOU A CRIANÇA DE 9 ANOS, EXCOMUNGOU OS MÉDICOS QUE FIZERAM O ABORTO E NÃO EXCOMUNGOU O ABOMINÁVEL VERME CAPAZ DE VIOLAR UMA CRIANÇA DE 9 ANOS - O REFERIDO PADRASTO!!!
5. COMO CATÓLICOS OU COMO CRENTES, OU MESMO ATEUS, POR UMA QUESTÃO DE ÉTICA: PASSEM A MENSAGEM!!!! QUE DIRIA CRISTO SOBRE ESTE ASSUNTO?? QUE DIRIA CRISTO QUANDO SE PUNE OS INOCENTES COM A EXCOMUNHÃO E SE DEIXA IMPUNES OS MAIS ABOMINÁVEIS CRIMINOSOS???
7. POR FAVOR: PASSEM MENSAGEM, FAÇAM QUALQUER COISA!!!! EU VOU ESCREVER AO MEU PÁROCO E PARA JÁ, VOU REZAR E TOMAR UM XANAX.
OBRIGADA POR ME LEREM.

ISABEL

sexta-feira, 6 de março de 2009

APENAS UMA CITAÇÃO

"Não tenho vergonha de nada do que fiz. Não há arrependimentos nem rancores nem ressentimentos. Quando se passa pelo que estou a passar, simplesmente não vale a pena. Não há espaço para as coisas pequenas, como o ódio ou a inveja. Não, quando se tem tão pouco tempo de vida."

Jade Goody
(vendeu os direitos de transmissão dos seus últimos dias à Living TV - para deixar algo aos filhos de 4 e 6 anos).

E a nós? Quantos dias nos restam??? Quanto tempo nos falta para perceber que "não há espaço para coisas pequenas"????

isabel

quinta-feira, 5 de março de 2009

Concordo absolutamente e..sinto-o na pele.

A DEVIDA COMÉDIA
Miguel Carvalho

Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao hospital com um
pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo
Criancinhas
A criancinha quer Playstation. A gente dá.
A criancinha quer estrangular o gato. A gente deixa.
A criancinha berra porque não quer comer a sopa. A gente elimina-a da ementa e acaba tudo em
festim de chocolate.
A criancinha quer bife e batatas fritas. Hambúrgueres muitos. Pizzas, umas tantas. Coca-Colas, às
litradas. A gente olha para o lado e ela incha.
A criancinha quer camisola adidas e ténis nike. A gente dá porque a criancinha tem tanto direito
como os colegas da escola e é perigoso ser diferente.
A criancinha quer ficar a ver televisão até tarde. A gente senta-a ao nosso lado no sofá e passa-lhe
o comando.
A criancinha desata num berreiro no restaurante. A gente faz de conta e o berreiro continua.
Entretanto, a criancinha cresce. Faz-se projecto de homem ou mulher.
Desperta.
É então que a criancinha, já mais crescida, começa a pedir mesada, semanada, diária. E gasta
metade do orçamento familiar em saídas, roupa da moda, jantares e bares.
A criancinha já estuda. Às vezes passa de ano, outras nem por isso. Mas não se pode pressioná-la
porque ela já tem uma vida stressante, de convívio em convívio e de noitada em noitada.
A criancinha cresce a ver Morangos com Açúcar, cheia de pinta e tal, e torna-se mais exigente com
os papás. Agora, já não lhe basta que eles estejam por perto. Convém que se comecem a chegar à
frente na mota, no popó e numas férias à maneira.
A criancinha, entregue aos seus desejos e sem referências, inicia o processo de independência
meramente informal. A rebeldia é de trazer por casa. Responde torto aos papás, põe a avó em
sentido, suja e não lava, come e não limpa, desarruma e não arruma, as tarefas domésticas são
«uma seca».
Um dia, na escola, o professor dá-lhe um berro, tenta em cinco minutos pôr nos eixos a criancinha
que os papás abandonaram à sua sorte, mimo e umbiguismo. A criancinha, já crescidinha, fica
traumatizada. Sente-se vítima de violência verbal e etc e tal.
Em casa, faz queixinhas, lamenta-se, chora. Os papás, arrepiados com a violência sobre as
criancinhas de que a televisão fala e na dúvida entre a conta de um eventual psiquiatra e o derreter
do ordenado em folias de hipermercado, correm para a escola e espetam duas bofetadas bem
dadas no professor «que não tem nada que se armar em paizinho, pois quem sabe do meu filho
sou eu».
A criancinha cresce. Cresce e cresce. Aos 30 anos, ainda será criancinha, continuará a viver na
casa dos papás, a levar a gorda fatia do salário deles. Provavelmente, não terá um emprego. «Mas
ao menos não anda para aí a fazer porcarias».
Não é este um fiel retrato da realidade dos bairros sociais, das escolas em zonas problemáticas,
das famílias no fio da navalha?
Pois não, bem sei. Estou apenas a antecipar-me. Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao
hospital com um pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo. E então teremos muitos
congressos e debates para nos entretermos.


Artigo publicado na revista VISÂO online

segunda-feira, 2 de março de 2009

AND TOMORROW, WILL BE ANOTHER DAY!

AND TOMORROW WILL BE ANOTHER DAY! Esta era a frase inspiradora da famosa heroína do “ E tudo o vento levou”, um dos filmes que mais me marcou pela força manifestada por esta mulher indomável. Hoje, estou naqueles dias em que apetece saber o horário da CP para me imolar na linha do comboio e ser despedaçada em 1000 pedaços, tipo puzzle. Hoje, estou naqueles dias em que a caixa de valium 10 quase esvaziou de um trago…_mas a quem foi operada ao cérebro já não há droga que faça efeito. Eu sei que há pessoas, milhares de pessoas, milhares de vezes piores do que eu: quem não tenha casa, emprego, família saúde… Há pessoas que simplesmente não têm nada. Há crianças a definhar com fome e com malária, há violência doméstica, a aumentar todos os dias e dentro de 10 anos, as estatísticas prevêem que a morte por cancro, duplicará: é o tal “preço da evolução”. Em Inglaterra, uma ex big brother, vai deixar-se filmar a morrer de cancro e há cadeias de TV a comprarem os direitos de publicarem o seu último suspiro. Ela tem 27 anos, é filha de um ex drogado presidiário suicida e casada com um condenado que saiu com pulseira electrónica para casar com a moribunda. Tem 2 filhos que aparentam 4 e 6 anos. O dinheiro que vai receber das TVs que filmarão a agonia em directo, servirá para criar as crianças. Entretanto na Guiné, os pretos não se entendem e mataram o seu presidente e respectivo chefe das forças armadas. Às vezes pergunto porque é que somos tão pacíficos e ainda ninguém se lembrou de colocar umas cargas de TNT em São Bento….Já agora, acabava-se o mal pela raiz. Quanto a mim, além do processo de avaliação kafkiano em que estou metida e do cansaço de dar aulas a “crianças” que nos chamam “doutoras vacas”e que não têm a mínima apetência para aprender,_ (a propósito, o comandante da GNR da minha terra foi nomeado pelo tribunal de menores encarregado de educação de um puto da “etnia cigana” como agora se diz,_ porque ninguém consegue fazer nada dele: aliás, o que se pode fazer a um miúdo de 14 anos que só vai à escola para comer e vender droga nos intervalos?? Nada. E depois, no fim do dia…..chego a casa. E encontro uma menina em plena adolescência que apesar de não se meter em drogas e ser excelente aluna me trata abaixo de cão. Sim, a mim, que a transportei 9 meses no útero, que amamentei, que passei milhares de noites sem dormir, que fiz kms de desespero à procura de um bom hospital quando ela estava doente…. E tudo isto, sozinha, porque o “paizinho” se tinha pirado para a sua realização profissional como grande mestre de equitação _ (façam vénia sff!!).... Ninguém pode viver sem amor. Pode viver-se com fome, com sede algum tempo, pode viver-se mais ou menos doente ou com saúde, mas não se pode viver sem amor. O amor dá sentido à vida: e o amor dos filhos é o mais puro e cristalino que Deus criou. Ouvir completas “blasfémias” da criança que parimos, ao mesmo tempo que se prepara o jantar, se apanha roupa e se dá explicações de matemática à irmã mais nova é dose. Dose equina. E tudo isto porquê? Talvez porque a complicada adolescente morra de ciúmes do namorado da mãe, não percebendo que o amor maternal é insubstituível, haja o que houver. Talvez porque a complicada adolescente tem dos avós ( minha sogra e meu pai), um exemplo de hippies fora de época, a quem tudo era e é permitido. _Aos 5 anos, se eu trocava os talheres de peixe com os de carne sujeitava-me a levar um estalo do meu pai. Hoje, o mesmo avô, acha graça a que as crianças comam com o gato à mesa._ A minha cara sogra vive para fazer as vontades às netas por mais disparatadas que possam ser: levar o papagaio ao LIDL, ( foi verdade mesmo), ir ao cinema e passar o dia fora, na véspera das aulas começarem e com TPCs para acabar… Mas o mais grave e triste de tudo, é que …..Há apenas 3 meses e meio, eu tinha a minha mãe que…depois de uma conversa telefónica, calmamente, chamava as netas, conversava com elas e tudo voltava a caminhar sobre rodas. Ela está lá no Céu, eu sei, mas a comunicação é mais difícil. Assim, e porque o silêncio se faz sentir., termino a minha prelecção dizendo como a heroína do “Gone whith the wind”,: Tomorow will be another day. PS: a propósito das acções e campanhas de luta contra o canco, como na minha terra o “encostateamim” _ que mau português!!_ só me apetece dizer: Vão dar uma volta “amigos”. Quando a mãe adoeceu, ninguém se aproximou para perguntar se era preciso alguma coisa ou se ao menos nós sabíamos tratar das burocracias. Aqui fica o meu sincero “agradecimento” porque deixar coisas enroladas na garganta, dá cabo da saúde. Obrigada a quem me lê. Vós sois os meus psicólogos de serviço. Bjs isabel