Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

quinta-feira, 30 de abril de 2009

PEOPLE ARE STRANGE....

As pessoas são estranhas....
Um dia querem tudo; no outro nem sabem se querem alguma coisa;
Num dia acham que a vida é bela e eterna, no seguinte suicidam-se...
São pouco fiáveis, infelizmente;
As vivências transformam-nos: quem nunca esteve doente não dá verdadeiro valor à saúde; quem nunca Amou não entende o Amor....

O sofrimento transforma-nos...Como dizia uma mãe que perdeu um filho : " ou a dor toma conta de nós, ou nós tomamos conta da dor".

Ponto final, mesmo.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

TUDO ISTO É FICÇÃO!!

E trata-se de avaliação!!
A palhaçada deste governo e deste país em que os cobardes dos sindicatos se ajoelharam perante a prepotência de uma ministra nojenta, frustrada e doente, dá-me náuseas e põe-me muito indisposta.
_Da mesma maneira que o ministro Sócrates _ só os estúpidos poderão continuar a votar nele_ mete nojo e me faz sentir vergonha de ser portuguesa!!_

AS ESCOLAS DEVIAM SER GERIDAS POR PESSOAS COM CAPACIDADE DE LIDERANÇA: EU ESTOU À VONTADE PORQUE NEM SEQUER ME CONSIDERO NESSE GRUPO!

MAS O QUE É UM LÍDER??

POR AQUILO QUE LI E APRENDI COM PESSOAS QUE TRABALHAM EM EMPRESAS DE SUCESSO, UM LÍDER É ALGUÉM QUE:
- ESTIMULA A CRIATIVIDADE DOS SEUS TRABALHADORES;
- TRANSMITE "AMOR `*A CAMISOLA" E AUTO-ESTIMA;
- NUNCA LEVANTA A VOZ NEM FAZ PEIXEIRADAS;
- IMPÕE RESPEITO SEM INSPIRAR MEDO;
- PÕE OS SEUS TRABALHADORES À VONTADE PARA TIRAR DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS.

SERÁ QUE É ALGO PARECIDO COM ISTO QUE TEMOS NAS ESCOLAS PORTUGUESAS??
LÍDERES QUE HUMILHAM, BERRAM, GRITAM, OFENDEM E SÓ NOS CHAMAM AO GABINETE PARA REPREENDER??
LÍDERES QUE NUNCA VÊEM EM NÓS NADA DE POSITIVO NEM NADA DE BOM??

E os avaliadores?? Que exemplo nos dão quando têm comportamentos inadmissíveis como o esquecer-se que tinham que fazer uma avaliação e marcar uma "coisa" para a mesma hora??
Que capacidade têm de nos avaliar se nem essa responsabilidade de ter uma simples agenda conseguem??
E as críticas??
Como se pode admitir críticas do tipo: "acho que estiveste muito tempo parada no mesmo sítio" (e estava a projectar-se acetatos) ou...."não incentivaste a autonomia dos alunos!"
SE QUEREM QUE ESTIMULEMOS A AUTONOMIA DOS DITOS DESGRAÇADOS ENTÃO EXPLIQUEM-NOS O QUE ENTENDEM POR AUTONOMIA!!! E JÁ AGORA EXPLIQUEM O QUE DEVEMOS FAZER PARA A TAL ESTIMULAÇÃO!!

PS: Este texto é pura ficção e NADA DISTO SE PASSOU NA MINHA QUERIDA ESCOLINHA!!_ E QUEM DISSER O CONTRÁRIO EU DESMINTO!!!

domingo, 26 de abril de 2009

Conquistei e conheci aqui neste blog, pessoas admiráveis.
Peço perdão por não ter respondido a mensagens e textos que me têm enviado. Confesso que devido a várias circunstâncias da vida, além de problemas de saúde derivados de um extremo cansaço, não tenho tido para convosco a disponibilidade que merecem
A depressão é um buraco negro sem fundo onde me tenho vindo a afundar dia a dia de uma maneira cada vez mais profunda. Além do namorado, das filhas e dos amigos, nada mais me resta._ o que Graças a Deus já é muita coisa e que muita gente não tem.
Cada dia em que levanto da cama , faço-o com enorme sacrifício. Vocês, merecem mais do que eu tenho para dar. Não ultrapassei a terrível injustiça consequente ao meu divórcio nem a perda da minha mãe.
Neste momento, Creio que só Deus me pode ajudar. Fiquem com um beijo, pleno de amizade. isabel

quinta-feira, 16 de abril de 2009

A MINHA BURRICE ILIMITADA

Já me tinham dito...Mas eu não queria acreditar;
Já me tinham avisado de que "isto" não era propriamente uma democracia; mas eu persisti em não ver.
Hoje tive a prova.
Fui questionada sobre os meus escritos.
Fui tão estúpida que nem me ocorreu escrever este blog sob anonimato;
fui tão estupidamente corajosa que assumi e persisto em assumir tudo o que escrevo.
Vou pagar, provavelmente, com algumas represálias...
E mais não digo.
Esquecem-se de uma coisa: quanto mais me tentarem afogar, mais força me dão.
Porque a razão, essa, nada nem ninguém me pode tirar.
Tenho direito a blogar como qualquer português;
tenho direito á minha identidade e a andar de cara destapada;
Quem não gostar: paciência.

isabel

domingo, 12 de abril de 2009

Os divorciados e a Igreja Católica

OS DIVORCIADOS E A IGREJA CATÓLICA

Confesso, eu pecadora me confesso, que estas alturas do ano são sempre problemáticas para mim.
Não me parece que tenha uma propensão natural para ver problemas onde eles não existem mas o facto é que se algo me atormenta o Espírito, não descanso enquanto não o “deito fora”, não o esclareço, não o compreendo…porque como dizia um Teólogo conhecido, só podemos Perdoar depois de compreender…E neste momento talvez eu precise apenas de ser compreendida para alcançar o perdão.
Sou Católica como já afirmei diversas vezes, e creio que mesmo sob tortura o continuaria a jurar. A Fé é estruturante da minha personalidade: permite-me entender o que me rodeia, permite-me aceitar o que não posso mudar, permite-me levantar da cama todos os dias quando me apetece deitar a toalha ao chão e arrumar as luvas de vez e acima de tudo, a Fé, permitiu-me aceitar a partida/morte de pessoas que muito amei.
Ao fim de muitos anos compreendi que a maior vingança é o perdão…O que não significa necessariamente esquecimento.
Há pouco tempo uma grande amiga minha chamou-me a atenção para o facto de ao fim de quase 11 anos, eu ainda não ter conseguido ultrapassar a mágoa das infidelidades e traições do meu ex-marido.
_ Continuo a sentir o chão a fugir-me debaixo dos pés como quando me vi sozinha com 2 crianças nos braços, assistindo à fuga daquele que jurei amar e respeitar “até que a morte nos separasse”- a acrescentar todas as consequências materiais que se seguiram.
_ Continuo a sentir a pergunta “ e agora o que é que eu faço? Que vai acontecer às minhas filhas??”, quando me disseram que tinha um tumor cerebral… Sobrou-me o sentido de humor para ir lavar a campa de família para…just in case…
_ Continuo a sentir o desgosto da perda do maior amigo que tive na vida levado por uma leucemia; continuo a questionar-me porque ditadores como Pinochet ou Stalin duraram até aos “500”anos e o meu amigo teve de partir aos 46.
_ Continuo a rezar e a temer pelas minhas amigas doentes revoltando-me porque a investigação para combater esta doença não avança ao ritmo necessário, quando se mandam homens à lua e sondas a Marte e os HIVs estão todos controladíssimos….
_ Já não pergunto porque a doença da Mãe apareceu, se desenvolveu e a levou em apenas 11 meses, quando nas pessoas mais velhas, o normal é os tumores serem menos agressivos…. Creio que Deus a chamou e que ela foi; penso que estava a ficar cansada de tantos tratamentos, chatisses, consultas…e lhe faltou o Amor e a Força que também eu lhe deveria ter dado.
Não estou zangada com Deus: estou preplexa.
Uma das características do meu signo – dizem- é não suportar as injustiças.
E eu queria perguntar à Igreja Católica: porque não devem os divorciados com vida sexual normal, comungar??
Que culpa tiveram??
Que pecado cometeram se não foram eles que rejeitaram o casamento e abjuraram os seus votos??
Que condenação teremos que suportar além das que já sofremos: escolher entre DEUS /comunhão e namorado???
_Dizia-me uma amiga minha católica e casada:” mas porque razão isso é tão importante para ti? Também não vais a todas as missas!!”_
A Missa existe para a Comunhão: é o ponto fulcral da cerimónia, a partilha do Corpo de de Deus.
_Que interesse tem ir a um banquete para ver os outros comer?? _ exemplo estúpido? Pode ser!_
… Na última semana de vida, a Mãe já mal falava e não comia absolutamente nada mas todos os dias, por volta das 6 horas, quando chegavam as “senhoras da Comunhão”, ela ACORDAVA, rezava todas as orações e comungava. Eram os únicos momentos do dia em que a Mãe era igual a ela mesma….
“Pescadinha de rabo na boca”: não se vai à Missa porque não se pode comungar…E vice–versa.
Exijo, ou melhor, peço que expliquem. Merecemos ainda o castigo do afastamento da Comunhão?? O sofrimento que tivemos não foi já redentor??
O nosso Papa tem que repensar. _ que atrevimento dizê-lo, mas digo!
Ontem vi um filme sobre a vida de Cristo: quando ele ressuscitou, todos os apóstolos estavam assustados e descrentes da Ressurreição; já só queriam salvar a pele dos romanos. No entanto, Jesus sentou-se entre eles e dividiu o pão o vinho dizendo as palavras consoladoras de todas as dores: “Este é o meu Corpo…..” Nem sequer os ouviu em confissão porque os conhecia por dentro e por fora, com as suas fragilidades e falhas humanas.
Não criticou, não peniticenciou: apenas SE DEU!!!
Sinto em mim, sinto, para além da depressão que me derruba e me corrói por dentro _ porque por fora nada se nota_ a falta do consolo da Comunhão. Do partilhar da refeição instituída por Cristo.
Perdi o interesse pela Missa: leio, vejo na TV e rezo como sei e posso.
Uma neurologista mandou-me fazer psicoterapia para “arrumar os caixotes espalhados na minha cabeça”.
Eu sei que preciso. Sei que terei que passar por essa fase antes que em mim o Demónio me faça desistir da vida…às vezes oiço a sua voz melodiosa: _ “desiste, não te aborreças..entrega-te…é tão fácil…descansa”_ Uma caixa de comprimidos talvez solucione tudo rapidamente.
(E POR FAVOR, não me venham dizer que há piores do que eu: não é consolo para mim e cada ser Humano tem a sua capacidade de resiliência _ qualquer engenheiro de materiais sabe do que estou a falar, até uma eng.ª zootécnica._)
Estou aqui porque Deus é grande e a Cruz que ele tem para mim não desistirei de a carregar.
Mas sei que pelo menos, tenho direito a questionar!

Beijos a quem me lê.
Isabel

sexta-feira, 10 de abril de 2009

A geração Morangos

Os dias de hoje

Sou mãe de 2 meninas, a mais velha em plena adolescência com todos os “qui-pro-quos” inerentes à idade.
A adolescente, surpreendeu-me no outro dia dizendo-me : “ mãe, gostava de mudar a decoração do meu quarto, é muito infantil,,,blablabla”….
A mais nova, apesar dos quase 12 anos ainda gosta de brincar com Barbies e toda a parafernália do conjunto.
É óbvio que a coisa que eu mais queria era poder agradar às duas e dar um quarto diferente a cada uma…Mas …o espaço não estica e eu não faço milagres…
Como era no meu tempo?? No nosso tempo??
Pensaríamos nisso?? Talvez…mas talvez também não o verbalizássemos!
Uma das amigas da minha filha Maria, que fez 15 anos no mesmo dia que ela, foi passar o seu dia de aniversário com uma amiga e com os pais, a ver montras no fórum Montijo.
É esta a noção que as pessoas têm de cultura?? Enfiar-se em centros comerciais, no meio do ar condicionado a ver montras cheias de coisas que não podem comprar??
É isto que se oferece a uma filha que faz 15 anos??
Eu não sou ninguém para condenar ninguém!! Como mãe terei cometido muitos erros certamente.
Mas não há museus, jardins botânicos, cinemas, bibliotecas???
É isto que é importante?? Ir ás compras à Berska , à Zara, ao sei lá que mais??
Claro que tudo faz falta e todos gostamos de ter boa aparência….
Mas…E os valores??
O consumismo desenfreado??
Numa idade em que as crianças são esponjas, não seria importante “dar-lhes “ algo mais substancial para aquelas Almas absorverem??
-_Os ténis têm de ser “All stars”, os jeans da “Salsa” e os tops da” Zara”??_
É isto que as amigas da minha filha sem maldade lhe trazem de fora.
Uma menina que adora ler que ouve boa música, que tem princípios, Moral e ética….
Os dias de hoje….Enganam-nos tanto…
Queremos dar tanto aos nossos filhos e às vezes…Eles só precisam do nosso tempo e do nosso amor…..

Isabel

quarta-feira, 8 de abril de 2009

De profundis

Não nasci pintora…senão pintaria o dia de hoje com cores primaveris.
Faria uma enorme tela onde as minhas emoções emaranhadas se libertariam com beleza e suavidade, dizendo tudo sem uma palavra.
Não nasci música ...para pôr o redemoinho de emoções em partituras que todos compreenderiam ao primeiro compasso.
Deus não me concedeu o dom das artes.
O que me afoga em silencio sai em redemoinhos de palavras desconexas, sem respeitar estruturas gramaticais ou outras.
Queria poder pintar o dia de hoje, num quadro que dissesse que a minha filha fez quinze anos e foi o seu primeiro aniversário sem a avó.
Queria poder exprimir em sons melodiosos a solidão e a desorientação em que a minha Alma se debate como um morcego sem radar….
Queria poder exprimir as angústias e as saudades sem ter que ouvir : “ blablabla porque há muitos piores do que tu!!”
Não AMIGOS/AS!!
Não quero nem nunca quis pena! Esse é o último sentimento a ter-se por um ser humano!
Não quero ouvir dizer aquilo que sei: que há quem esteja bem pior do que eu.
E que consolo isso me dá?
Como me posso animar sabendo que há crianças com fome e pessoas a morrer sozinhas??
EU SEI QUE SOU FORTE!! Mas até as montanhas desmoronam.
_E são os movimentos internos de placas continentais ou oceãnicas, (que ninguém vê), que as eleva e que as destroem._
Em ebulição, há dentro de mim, vulcões e falhas tectónicas que se entrecruzam.
Não sei quando virá o sismo.
Mas inexoravelmente terá que acontecer.
Isabel

domingo, 5 de abril de 2009

ESTA É DE BRADAR AOS CÉUS!!!!

Em Portugal, acabou a vergonha de vez!!
Como dizem os putos, este País não existe!!!!!
Então agora, os deputados não têm que justificar as faltas até 5 dias??
E se passar dos 5 dias "poderão então" apresentar atestado médico???
A razão apontada para esta diferença entre "eles" e o comum dos mortais, é de que "tem que se fazer fé na palavra de um deputado!" . _ Isto ouvi eu, com estes que a "terra há-de comer" na RTP2!!!
Mas afinal, o que é que a palavra de um Paulo Pedroso, por exemplo, vale mais do que a minha??
Mas quem é esta gente??
Mas que país é este??
Eu, como professora, só tenho direito a faltar para acompanhar filhos ao médico até aos 10 anos!! A partir daí metam-se no autocarro e vão sozinhos!!! - nem que seja com uma perna partida ou 40ªC de febre!!!
Se eu adoecer por um dia, terei que apresentar atestado médico POR UM DIA!!
Mas afinal, os deputados são quem?? Deuses?? Seres acima da média??
Meus amigos, tenho muita pena, mas isto só lá vai com uma guerra civil!!!
É melhor começarem a contar as armas, sinceramente!!!
Isabel

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Os macambúzios que me perdoem mas sentido de humor é fundamental!!!

Penso muitas vezes que me devo obrigar ao optimismo.
Dois antidepressivos/ dia mais não sei quantas "benzocas"_ le petit nom dos ansiolíticos benzodiazepínicos_ deveriam permitir-me o optimismo.
Sou frágil??
Não sei....Já me disseram que eu sou muito forte....
Sei olhar para dentro de mim e ver o que está errado..mas o sentido crítico também se estende para fora, calma!!!

Não é fácil educar 2 filhas sózinha, estando elas em plena adolescência;
Não é fácil dar aulas no manicómio em que se tornaram as escolas portuguesas;
Não foi fácil perder a Mãe há quase 5 meses, depois de tratamentos dolorosos e inúteis que lhe deram uma sobrevivência de 11 meses a um carcinoma mamário;
Não foi fácil perder o meu melhor amigo com leucemia há 3 anos e ter uma amiga de infância gravemente doente;
Assim como não foi fácil tirar um tumor do cérebro, (meningioma), após uma cirurgia de 6 horas à qual eu não sabia se sobreviveria ou se acordaria com todas as minhas capacidades...e não é fácil meter-me anualmente dentro de uma TAC para saber se continua "tudo bem".
Talvez o maior choque tenha sido a minha separação, quase literalmente à saída da maternidade, com a minha 2ª filha nos braços, quando o meu "ex" quis ir "curtir a vida", com uma fulana endinheirada com quem partilhava a paixão pelas artes equestres...Talvez a maior dôr tenha sido essa brutal traição acompanhada de mentiras, negações e toda a panóplia de artimanhas que só me subestimaram a inteligência.
Ok.

E agora??
Vou viver a protestar "até que a voz me doa" com a situação do meu País??

Vou martirizar-me a pensar que o meningioma poode voltar a crescer ou que outra doença ainda pior me pode tirar qualidade de vida??

Vou pensar sempre que o meu namorado _ coitado que tanto me atura_ ,me vai fazer o mesmo que o meu ex: trair-me com "uma qualquer" que surja numa esquina da vida?? _ Às vezes rio e digo que tal como os animais domésticos, os homens deviam trazer um chip:))_
Os macambúzios que me perdoem, mas sentido de humor é fundamental!!
(esta saiu-me inspirada daquele poema do Vinicius, Eehehehh:))...

É isto que eu vou dizer a uma psicoterapeuta??
Não haverá uma maneira mais simples e barata de enviar os maus pensamentos para a "reciclagem" e ficar só com os bons??

Aqui escrevendo, as nuvens escuras vão-se desvanecendo porque ...Há que acreditar que depois do Inverno, a Primavera volta sempre, não é???

Isabel