Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Não tenho pachorra!!!!!!...


Não tenho pachorra para intriguices , fofoquices e diz _que_ “disses”;

Não tenho pachorra para bigodes monárquicos só para “armar”, secados a secador, com laca;

Não tenho pachorra para betos, queques, dreads e skin-heads;

Não tenho pachorra para música pimba;

Não tenho pachorra para machistas, revivalistas, marialvas de pacotilha;

Não tenho pachorra para o Governo, deputados, secretários de estado e administradores de empresas “públicas”;

Não tenho pachorra para quem nunca deu aulas e passa o tempo a dizer mal dos professores;

Não tenho pachorra para telefonemas de “chacha” a quererem vender frigoríficos a esquimós;

Não tenho pachorra para os “anti-touradas” que comem carne;

Não tenho pachorras para telenovelas;

Não tenho pachorra para conversa de “chacha”;

Não tenho pachorra para homens quarentões à procura de “mamãs”;

Não tenho pachorra para novos-ricos;

Não tenho pachorra para "snobes";

Não tenho pachorra para meninas que aparecem nas revistas e que são conhecidas só porque são conhecidas e aparecem para alambazar o rissol e o champanhe francês;

Não tenho pachorra para quem não lê um livro, não conhece uma poesia, nunca ouviu falar em boa música;

Não tenho pachorra para os que me corrigem, quando estou a pensar, e começo a frase, com o Vocativo “pá”;

Não tenho pachorra para os homens que não se levantam quando cumprimentam uma senhora;

Não tenho pachorra para os marxistas-leninistas-bloquistas, “esquerdistas caviar”_(que quando vêem um pobre na rua viram a cara);

Não tenho pachorra para melgas, mosquitos e outros quesitos;

Não tenho pachorra para os miúdos e homens e raparigas, que não se levantam e dão o lugar a idosos e deficientes;

Não tenho pachorra para ensinar a um homem que é ele que deve servir o vinho à mesa;

Não tenho pachorra para os xicos-espertos que acham que Portugal é Lisboa e o resto, paisagem;

Não tenho pachorra para os condutores enfurecidos que me querem ultrapassar em traços contínuos;

Não tenho pachorra para os que andam de Ferrari embora lhes chova em casa;…E…E…E….

Pronto…

Posto isto, não tenho pachorra para muita coisa, e, das duas uma, ou estou velha e senil ou…ESTOU MESMO SEM PACHORRA!.



iSABEL

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

EU????


Eu!...Sou????? .....



Tenho momentos de desânimo que em que me apetece mandar tudo às "malvas".

Perdi pessoas que amei, e só me consola sentir que elas continuam vivas no meu coração.

Perdi um casamento com que sempre sonhei, e criei 2 filhas de que me orgulho pela sua inteligência intelectual e principalmente emocional.

Aturei namorados cheios de complicações naquelas cabeças doentes, que se aproximaram de mim, convencidos de que era psiquiatra;

Estive ao lado dos meus amigos sempre que precisaram: nunca disse um "não", mesmo que com isso prejudicasse a minha vida.

Mas...Também sou um osso duro de roer: quando me magoam não há segundas oportunidades para ninguém _ nesse aspecto sou pouco Cristã: Ainda não aprendi a dar a "outra face".

Já ouvi dizer muitas vezes que era a Mulher ideal...Mas se calhar "tão ideal" que não tiveram coragem de me "agarrar".

Fugi, sempre que percebi que algum relacionamento me traria mais problemas que alegrias: e já fui apelidada de egoísta por isso mesmo.

Agora chega: descobri quem sou.

Uma mulher Forte, que sabe o que quer e para onde vai, com capacidade de lutar pelos ideais em que acredita, contra tudo e contra todos.

Olho para o espelho e em vez de ver uma parvinha, vou começar a ver uma mulher forte, de nariz empinado.

Não sou perfeita, longe de mim tal presunção.

Mas sei o que valho.

Haja o que houver, não vão ser as desilusões dos pseudo-amigos ou pseudo-pretendentes que me vão fazer "ajoelhar".

Sou um cavalo que não gosta de esporas nem de serrilhão no nariz, e menos ainda de freio de "cachimbo".

Com calma, sem que nada nem ninguém ponha em causa a minha sanidade mental, sou um doce.

Com brutalidade, sou inacessível.

Não gosto de sofrer: azar, nem todos são masoquistas.

Hoje, olho-me nos espelhos e gosto de mim.

E gosto, porque sou Forte e nada me derrubará.

Como diz na Bíblia: " a quem tem Deus, nada lhe faltará".

E aqui fica este depoimento: quem gostar, gosta, quem não gostar tem bom remédio: a tecla "delete" ou o afastamento.

Obrigada...E não digam que não avisei.

Beijo.

Isabel.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Era de Aquário


Era de Aquário

Sou um ser da era de aquário: aqui empacotada no computador; embalada em telemóveis e ipod’s, à distância de um click das antípodas.
Sei mais depressa o que aconteceu no Japão do que o que se passa com o vizinho do lado.
Alimento-me de cerejas espanholas, uvas do Chile (irradiadas), maçãs todas iguais que sabem a farinha, frangos entupidos de antibióticos, bifes de porco e novilho encharcados de hormonas, peixes envenenados com mercúrio ou engordados em aquaculturas e até celebro o Natal com perus que atingem os 20 kgs aos 3 meses…
Vivo numa casa desinfectada, numa cidade desinfestada e bebo água fluoretada.
Visto roupas de nylons e outras substâncias sintetizadas em laboratório, uso desodorizantes e sabonetes que destroem o ozono.
Sou um ser da Era de aquário;
Ao meu lado vejo crianças a morrer de leucemia e linfomas provocados pelas radiações dos cabos de alta tensão que as rodeiam, e tumores cerebrais que crescem com a ajuda dos telemóveis.
Sou professora de crianças obesas de tantos alimentos pré-fabricados enquanto a 1000 kms de mim, morrem crianças de desnutrição, falta de água e malária.
Sou governada por seres que não conheço e que decidem a economia mundial sem perguntar opinião aos governados.
Compro gasolina a preços exorbitantes enquanto os oceanos se poluem inexoravelmente de combustíveis fósseis que os envenenam.
Sou um Ser da Era de aquário.

Isabel