Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Chego das aulas e almoçando uma coisita rápida, folheio o jornal I... Começo a ler e a convencer-me que, das duas uma, ou eu estou louca ou… é o mundo que está louco!!! Só me apeteceu gritar “ Párem o planeta: quero sair!!!!!” Então vejamos: “Cavaco nega qualquer relação com BPN pela 4ª vez desde 2008 (…) Em 2009 o Expresso noticiava que, 6 anos antes, o casal Cavaco Silva, assim como a filha Patrícia, lucraram 356,9 mil euros, no total, com a venda de acções da SLN, empresa que detinha o BPN, tendo representado um ganho de 140%. Cavaco negou de novo ligações ao BPN, embora se tratassem de acções da empresa mãe. Em janeiro de 2011, a recista “Visão”, introduzia novo elemento à polémica relação de Cavaco Silva com o BPN/SLN: em 1999, Cavaco permutou a famosa vivenda “mariani”, em Montechoro, por uma vivenda na herdade da Coelha, ficando vizinho de férias de Oliveira e Costa, entre outros sociais-democratas. A vivenda foi comprada a Fernando Fantasia, ligado à SLN e um dos envolvidos na compra de terrenos em Alcochete, duas semanas antes de saber que o novo aeroporto iria ali ser construído. (…) Comentário: “diz-me com quem andas….._ “ Alunos à espera de bolsas obrigados a pagar propinas. Estado não pagou bolsas mas ameaça com penhora os alunos com propinas em atraso, diz Confap.(…) O presidente da Confap assegura ter recebido várias queixas de pais de estudantes que estarão a ser intimidados a regularizar as dívidas. “recebem sms dos serviços sociais. O Estado, por um lado, diz que vai pagar mas não paga, e ameaça com penhoras os alunos a quem concedeu a bolsa”_!!!!!!!!! _ Comentário : O ESTADO NÃO SE PODE PENHORAR A SI PRÓPRIO???? E mais: “ São regras que o dirigente da Confap contesta lembrando também a injustiça das normas que vedam aos alunos as bolsas por terem familiares com dívidas. “ No caso das universidades, os jovens passam a ser penalizados pelo que possa ter feito o avô” ( !!!!!????!!!!!) “ A menos de uma semana da 2ª volta das eleições presidenciais francesas, Nicolas Sarkozy anunciou ontem que vai apresentar queixa contra o site mediapart, que publicou no sábado um documento a sugerir que o regime de M. Kadhafi financiou com 50 milhões de € , a sua campanha em 2007” _ COMENTÁRIO: Então o Kaddhafi financia a campanha ao “Sarko” e depois é mandado abater!!!!??? Ora!! Que pobre e mal agradecido monsieur SarkozY!
Isabel. ( Todos estes textos foram retirados do Jornal I de 1/Maio/2012)

Senhor ministro Gaspar, (não o gato do H. Novo), o ministro que "me vai às finanças", mesmo!!!!!

Ex.º Senhor ministro:
Partindo do princípio que vª Ex.ª é um português bem intencionado, licenciado em economia e que pretende o sucesso do seu País, venho por este meio dirigir-me a vª Exº no sentido de ver esclarecidas certas dúvidas que me assaltam. Vou ser sucinta, mas se vossa Exª o desejar, falarei d-e-v-a-g-a-r, para que o sr ministro me possa compreender. A política seguida por vossa excelência tem sido dirigida no sentido de cortar o consumo dos portuguerses devido à brutal diminuição do poder de compra e à inflacção de produtos essenciais como combustíveis, etc, que tem como consequência a subida de bens essencias como a alimentação , etc. Ora bem, fico deveras admirada, ou melhor indignada, quando me ponho a pensar que: 1. os ordenados, vencimentos e pensões baixam mas as despesas fixas mantêm-se as mesmas ou sobem ( casa, carro, energias, medicamentos, créditos, etc); 2. a única coisa em que os portugueses podem cortar é nas despesas com passeios, restauração e alguma ou outra peça de vestuário; 3. concomitantemente com a diminuição do poder de compra dá-se um aumento do preço dos bens essenciais como acima referi! Ora bem... Não é preciso raciocinar muito para perceber que, se as despesas aumentam, e as receitas diminuem (por parte das famílias, claro), a PROCURA vai também diminuir pelo que as empresas portuguesas vão vender menos e o Estado português vai "arrecadar" menos impostos por via dos IVA's , IRC's , etc. Sei também que o senhor ministro pretende aumentar as exportações.. Mas pretende, como????? Competindo com os mercados asiáticos????? _ Ainda não percebeu que tirando o Américo Amorim e mais 2 ou 3 , ninguém tem poder para investir em Portugal ao preço a que estão os juros bancários e ao preço brutal das energias???....... Posto isto, e apesar de, ao lado de vossa excelência não passar duma ignorante que teve apenas 5 cadeiras de economia na faculdade, venho colocar-lhe estas questões na esperança de que quando vª Exª tiver V-A-G- A- R... me possa responder...Assim como a alguns portugueses curiosos e falidos, claro está!!!!!! Pede deferimento IQR

terça-feira, 1 de maio de 2012

A dor

Admiro, sobretudo no Miguel Esteves Cardoso, a maneira desassombrada como revela os seus sentimentos, expõe as suas chagas, mostra as suas íntima feridas. O cidadão mediano, retrair-se-ia. Falar de doenças??_ Coisa de "gaja". Falar de cancro???... Que mau gosto!!! Não, gaita, não!!!! Para já não existe cancro: existem cancros e não há 2 iguais. Numa família povoada de médicos, ouvia dizer ao meu avô paterno que havia de ser um de nós a descobrir a cura para esta temível doença.;) Não, nem a minha prima Isabel Lemaitre que fez investigação na Bélgica se aventurou por aí. Hoje sabe-se que, um mínimo "engano" na replicação de um gene ( e nós temos milhares de genes), pode provocar esta mortal doença. No cancro, não é a morte que me chateia. E o processo. São as esperanças. São as desilusões. É ficar sem cabelo. É a quimioterapia, radioterapia, o diabo a 7. O diabo à solta nas nossas veias. No cancro, não é a morte que me chateia: é a pena. Senti-a quando tive um tumor cerebral_ que por acaso não era maligno,_ . As pessoas que me abordavam, t
ipo: "coitada, tão nova, com 2 filhas para criar e com um tumor na cabeça!"_ DETESTEI que tivessem pena de mim. Não sei explicar porquê, mas odiei. Não fiz "quimio" nem "radio", Graças a Deus mas passei por uma cirurgia complicadíssima. E sei... Sei que apesar de não ser "dos maus", o estupor pode voltar. Mas ...Não quero saber. Enquanto não souber estou descansada.... Porque... Quando se sabe.... Quando se sabe, pelo menos comigo, se um dia vier a saber, só quero que me deixem em paz. Mas depois vou ter as pressões dos médicos, o olhar dos que me amam a dizer: " luta mais um pouco! Fica connosco mais um ano, mais 2 anos, mais 3 meses!!!" Penso que é por isso que as pessoas que sabem o desfecho, se sujeitam a tratamentos humilhantes e horríveis: para dar aqueles que amam um pouco mais de tempo. Uns dias, uns meses quiçá uns anos de companhia... E...há sempre a esperança do milagre... Então aquele jogador de futebol não esteve 20 minutos com o coração parado e não recuperou???... Ora!!!... Enfim, em oncologia não costuma haver milagres. Infelizmente. Um dia, após a morte da minha querida mãe, um oncologista do IPO disse-me que " o cancro era o preço da evolução". A doença evolui, isso é certo. O nosso conhecimento sobre ela, também. Como manipular os genes avariados, nas células afectadas é que não se consegue descobrir. Bem, depois de tantos familiares e amigos que me morreram de cancro , abençoado enfarte, AVC ou atropelamento!!! (Desculpem a crueza mas estou muito triste). Isabel.

Honestidade radical

"Honestidade radical" O irmão, Paulo Portas, lembrou a "honestidade radical" de quem viveu e morreu como "um combatente", mas sempre com "suavidade e elegância", com um "admirável sorriso" que não largou "até ao último momento". O irmão de Miguel Portas, ministro dos Negócios Estrangeiros e líder do CDS-PP, evocou a "irredutível amizade" que os unia. "Ambos dávamos ao outro não o preconceito sobre o que o outro pensava, mas o benefício da dúvida sobre o que o outro queria. Adorávamo-nos para além de todas as diferenças, eu diria até um pouco mais, adorávamo-nos também por causa das nossas diferenças", contou. "O que explica a nossa irredutível amizade é uma palavra chamada respeito. Respeito não como veneração formal mas como capacidade de renunciar a alguma coisa de nós próprios para conservarmos o essencial do outro e o essencial e do que o outro significa para nós", afirmou Paulo Portas. Ler mais: http://expresso.sapo.pt/portas-adoravamo-nos-para-alem-das-diferencas=f722405#ixzz1tfkbFgQB

O amor de MEC

“Às vezes encontramo-nos com a cabeça nas mãos. Tudo o que poderia ter corrido bem correu mal. O mundo, que era igual à vida, afasta-se de repente. Distancia-se e continua a existir, como se nada tivesse a ver ou a haver connosco, como se fizesse questão de mostrar a independência dele, mundo, que não existe só porque nos damos conta dele. A má notícia é má, mas a pior, para quem cá está, é a pessoal. A minha pessoa é a Maria João e a Maria João passa mal. Nem o amor nem a sabedoria médica a podem salvar. Só uma conjunção das duas coisas, mais um acrescento de milagre. O cabrão do cancro alastra-se. Exterminado no pulmão ou na mama, foge para o cérebro, onde se refugia e cresce. Forma uma força da morte, aproveitando as barreiras antigas entre o sangue e o cérebro, que infiltra conforme lhe apetece. Hoje, domingo, é o último dia em que estaremos juntos, dois amores, felizes há quase vinte anos. Amanhã, logo às nove da manhã, estaremos na consulta dos excelentes neurocirurgiões do Hospital de Santa Maria, onde nos avisarão das complicações possíveis. Obama deveria inspirar-se na perfeição clínica e humana do serviço de saúde português e francês. Mas a dor não diminui. Nem a tristeza abranda. Vai morrer o meu amor. Não vai. Como o meu amor por ela, nunca há-de morrer. As coisas acontecem sem acontecer o pensamento nelas. A alma, o coração e a cabeça são coisas diferentes. Que se dão bem. E são amigas. E deixam de ser quando morrem”
( Miguel Esteves Cardoso)