Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Deslumbrada!

DESLUMBRADA- ABSOLUTAMENTE!

Uma das coisas que gosto em mim, sim, hoje narcisicamente apetece-me falar de mim, é a capacidade que mantenho de me deslumbrar com a Beleza e a Bondade.
A beleza de uma célula viva, o encanto da espiral de DNA, a beleza de um organismo funcionante, seja uma amiba ou um cavalo, a beleza de uma bailarina em pleno esforço, de um cavalo ultrapassando todos os seus limites de uma ginasta equilibrada na barra!.....
A beleza de um quadro de Van Gogh, de uma música que mexe comigo, de um poema que diz aquilo que sinto e não sou capaz!
E a Bondade… Sim.
A bondade de quem se dá aos outros sem retribuição, de quem é amigo e ESTÁ presente nos momentos duros de roer, a surpresa de uma amizade inesperada e incondicional, de quem sacrifica a própria vida em prole de uma causa ou de um ideal!
Enquanto mantiver esta capacidade de me deslumbrar observando a Bondade e a Beleza, serei sempre capaz de encontrar a felicidade.

Isabel.
( Fotografia de Leni Riefenstahl)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Requiem por uma gata


Depois de ler este texto, escrito pela minha filha Filipa (14 anos), acerca da morte de uma gata que vivia em casa do avô, só me ocorreu escrever:_ É assim, as pessoas, os seres vivos, não são DADOS à vida. São EMPRESTADOS à vida._ Bjs.

"Cada vez que olhavas para mim parecia que sorrias, vou ter saudade desse teu sorriso calado, que sem dizer nada dizia tudo, o sorriso que me animava sempre que estava em baixo, vou ter saudades de todas as noites que dormias na minha cama ás escondidas! Das vezes que te escondia dentro dos lençóis quando alguém aparecia, das vezes em que a Maria chegava ao pé de mim e dizia “como é que os lençóis estão cheios de pelo???” e nós olhávamos uma para a outra, quase trocando um olhar cúmplice… quase rindo…
Vou ter saudades desse teu olhar, do teu miar do teu pelo… vou ter saudades de vires para o meu colo sempre que me sentava e de fingir que estudava enquanto te fazia festas, lembraste? Tu adoravas… vou ter saudades de quando corrias para mim assim que chegava a casa e da maneira como me trepavas para os ombros.
Sabes? ainda olho para a tv com a esperança de te ver, ainda tenho esperança quando chego a casa de vires correr para mim.. ainda tenho arrepios quando oiço um miar de algum gato... ainda abro a porta á espera que sejas tu, e que a qualquer momento entres esfomeada a pedir comida… mas… nunca és… nunca…
Olha uma coisa eu te prometo,um dia, um dia tudo vai voltar ao normal! Um dia vou acordar e descobrir que isto tudo não passou apenas de um pesadelo de um grande e longo pesadelo, e ai.. ai vamos voltar a estar juntas!
Até lá não te esqueças de mim… eu nunca me esquecerei de ti. 
Vou ter saudades desse teu olhar, do teu miar do teu pelo… vou ter saudades de vires para o meu colo sempre que me sentava e de fingir que estudava enquanto te fazia festas, lembraste? Tu adoravas… vou ter saudades de quando corrias para mim assim que chegava a casa e da maneira como me trepavas para os ombros.Sabes? ainda olho para a tv com a esperança de te ver, ainda tenho esperança quando chego a casa de vires correr para mim.. ainda tenho arrepios quando oiço um miar de algum gato... ainda abro a porta á espera que sejas tu, e que a qualquer momento entres esfomeada a pedir comida… mas… nunca és… nunca… Olha uma coisa eu te prometo,um dia, um dia tudo vai voltar ao normal! Um dia vou acordar e descobrir que isto tudo não passou apenas de um pesadelo de um grande e longo pesadelo, e ai.. ai vamos voltar a estar juntas! Até lá não te esqueças de mim… eu nunca me esquecerei de ti. 
Adoro-te Faith."

segunda-feira, 23 de julho de 2012

We live together in a photograph of time


I was lying in my bed last night staring
At a ceiling full of stars
When it suddenly hit me
I just have to let you know how I feel
We live together in a photograph of time
I look into your eyes
And the seas open up to me
I tell you I love you
And I always will
And I know you can't tell me
I know you can't tell me

So I'm left to pick up
The hints, the little symbols of your devotion
So I'm left to pick up
The hints, the little symbols of your devotion

And I feel your fists
And I know it's out of love
And I feel the whip
And I know it's out of love
And I feel your burning eyes burning holes
Straight through my heart
It's out of love
It's out of love

I accept and I collect upon my body
The memories of your devotion
I accept and I collect upon by body
The memories of your devotion

And I feel your fists
And I know it's out of love
And I feel the whip
And I know it's out of love
And I feel your burning eyes burning holes
Straight through my heart
It's out of love, ooh hoo
It's out of love

Give me a little bit serious love
Give me a little full love
Be full of love

Categoria:

Etiquetas:

Licença:

Licença do YouTube Padrão

Amigos virtuais???? Upsss....


A importância dos amigos virtuais.

Eles estavam almoçando num restaurante sofisticado, indiano.
Ele, como sempre, impaciente com a demora do serviço.
Ela, descontraída atira-lhe com um : “ relaxa! Curte o momento! Estás de fim de semana! Vive com calma!”
Ele resmunga qualquer coisa.
Ela, que raramente o visitava a Lisboa: era sempre ele que ia à terra dela visto até ter lá casa de família, estava a tentar aproveitar ao máximo os momentos fora de casa sem preocupações de maior.
Às tantas, ela diz “ A minha amiga “xyz” é uma querida! Vê la que se ofereceu para me acompanhar ao médico! Devíamos combinar qualquer coisa com ela”
Ele atira: “ Mas tu só a conheces do facebook! Como sabes que é tua amiga???”
Ela responde tentando manter o tom de voz suave. “ é minha amiga sim, há mais de 2 anos!! Já estive doente e foi a única pessoa que me telefonou!”
Ele irritado, grita-lhe “ Disparate!! Isso é tudo um disparate pegado!! Como podes dizer que tens amigo do fB se nunca os viste se nunca lhes tocaste, se nem sabes que são reais??”
Ela diz: “ mas eu já tive provas de que são meus amigos…. Fiz até um grupo para ajudar alunos com um colega da minha área…e falo com ele sobre tudo, é mesmo um amigo de que gosto imenso! E não te preocupes porque é gay!!”
Ele fica histérico! Paga o almoço e levanta-se da mesa resmungando. “ amigos? Amigos? Eu não tenho amigos!! Isso não são amigos reais!! “
Ela responde: “ mas lembras-te que , apesar de nos conhecermos desde miúdos,  foi através do FB que me engataste???... Além do mais, nem podes falar muito! Afinal tiveste uma namorada brasileira que conheceste via FB! LOOLLLJ))”
Saem do restaurante….
Ela fica para trás com a sensação, ou melhor, com as palavras a ecoarem-lhe no coração: “mas o que é que eu estou a fazer neste filme????”
Entram no carro. Ele furioso com os olhos a chispar de raiva.
Ela calada.
Tinham combinado passear por Lisboa essa tarde.
Ele acelera o carro, mete-se na auto-estrada direito à terra dela,  qual seta motorizada.
Passados 100 kms ela diz: “ importas-te de me deixar no meu carro??”
Ele fá-lo, sem uma palavra.
Ela sai do carro, bate a porta e apenas diz: “felicidades”.
Ele arranca a toda a velocidade de volta a Lisboa.
……………………………………………………………………………………………
E foi assim que terminou uma relação de 7 meses, cravada de declarações de amor, apresentações à família e  ofertas de anéis de compromisso.

Isabel.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

“Coisas” sobre o amor e desamor_ reflexão isabelina


“Coisas” sobre o amor e desamor_ reflexão isabelina

Um dia disse ao ex-namorado: “ Olha que eu gosto imenso de ti, mas mais do que de ti, gosto imenso de MIM!”
Narcisismo, perguntar-me-ão…Não: autodefesa.
Não consigo amar quem me maltrata, quem me diminui, quem me desrespeita a inteligência, quem, por via dos seus complexos, me quer “complexar”.
Há relações difíceis vividas a vida toda: normalmente pelas pessoas melhores do mundo.
Jamais esquecerei a história de uma amiga que, sem que nada o fizesse prever, se atirou de um 7º andar. Sabia que ela tinha uma relação “complicada”. Mais tarde, vim a saber por uma amiga próxima de ambas que ela era vítima de maus-tratos psicológicos.. .Sim, ela, uma mulher linda, inteligente, bondosa, atirou-se de um 7º andar.
Quando me separei há 13 anos, passei uma temporada tão em estado de choque, que não me conseguia imaginar a envolver-me com alguém. E estava precisada de um ombro, de colo, de ternura, oh se estava…mas… Simplesmente, não fui capaz.
O tempo foi passando e as chagas sarando, e…. Com o passar do tempo foram surgindo algumas pessoas importantes na minha vida.
Tudo o que vivi foi com “recta intenção” e com uma enorme vontade de que as relações “resultassem”e eu encontrasse a felicidade que perdi com a minha inesperada e chocante separação/divórcio.
Tive o cuidado de não voltar a casar. O casamento civil não me diz nada.
Para mim, casar é um Sacramento. Já o tive. E já o perdi.
Quando me apercebia de que, havia incompatibilidade de feitios, que estava a ser “usada”, ou menos amada do que aquilo que amava, saí fora. Protestei, blafesmei, disse o que tinha a dizer com toda a raiva que tinha, mas “caí fora”. _ nunca disse que tinha bom feitio e ninguém me magoa sem levar troco: nesse aspecto, preciso de uma nova evangelização…._Mas Cristo também se enfureceu com os vendilhões do Templo, ou não???...._
No meu coração, creio que todos temos direito à raiva e ao ódio. Se não o exteriorizarmos, cristaliza dentro de nós e transforma-se num cancro que nos corrói a Alma.
Na última vez que terminei uma relação, uma das minhas melhores amigas, senhora de uns sábios 70 anos, disse-me em jeito de confidência: “ Isabel! Arranje um homem rapidamente! Vá para a cama com ele e esqueça!! Esqueça quem a magoou. Vai ver que é remédio santo!” _
Sorri;))
Não sou “boazinha” mas não sou capaz de usar os outros: para fazer algo semelhante, preferiria comprar um boneco insuflável. Os outros, o próximo, são para ser amados e respeitados, nunca usados.
Tenho, no entanto,  amigos que me contaram com toda a naturalidade,  que após separações/divórcios, tiveram fases em que “tudo o que vinha à  rede era peixe”: do tipo ir a um bar, conhecer uma fulana, 2 dedos de conversa, ir para a cama dela e “xau, boa noite e boas festas” , nunca mais a ver, nem recordar-lhe o nome.
Há pessoas para quem isso funciona. Para mim, não. Dá- me pena, desgosto. Acho pobreza de espírito.
Muitas vezes perguntei a mim mesma: “ MAS SE EU NÃO METO DENTRO DE MINHA CASA QUALQUER DESCONHECIDO QUE NADA ME DIZ, COMO É LHE ENTREGO O MEU CORPO?? COMO É QUE ISSO SE CONSEGUE???.....”
O Corpo é o Santuário da Alma: não quer dizer que não caiamos em enganos, mas tratar o corpo pior do que a nossa  casa??.....
Pois…. Quem me quiser o corpo, tem que levar com o coração.
Quem achar que é peso a mais, nem faça o check – in;)

Isabel;)