Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

sexta-feira, 15 de junho de 2012

"Always wear your invisible crown"

"Always wear your invisible crown" Um dia, disse ao namorado: " Olha que eu gosto imenso de ti..mas gosto muito, muito mais de mim!!". Não é narcisismo. É sensatez. Os problemas que não podemos evitar são uma coisa: entrar em relacionamentos em que somos tratadas como "baldes de descarga dos lixos emocionais", não é para mim. A doença, é uma coisa. A neura é outra. Nunca admiti nem admitirei ser tratada menos bem do que mereço. Procuro tratar os outros o melhor que sei e posso;exijo o mesmo. Eu sou rainha da minha vida e vivo para as minhas Princesas. O "resto", amigos, namorados, familiares menos "familiares", são opção. Sou como sou e gosto de ser assim, exactamente, sem mudar uma vírgula. Posso ser acusada de intolerante ou de possuir um feitio difícil: mas nem eu nem ninguém veio ao mundo para sofrer e...Quem está mal , muda-se. Impressiona-me ver pessoas que vivem relacionamentos completamente sado-masoquistas. Essa não é a "minha onda". A dignidade da pessoa humana não tem preço. Talvez por isso, Jesus Cristo nos tenha ensinado: " amai os outros como a vós mesmos", porque para amar MUITO os outros, é preciso amar-mo-nos muitíssimo. Os maus tratos, a violência física ou emocional é transversal a toda a sociedade, principalmente nos países do Sul da Europa, talvez pela herança genética muçulmana. Vejo miúdas de 14/15 anos serem mal-tratadas pelos namorados. Vejo mulheres inteligentes e independentes, admitirem serem capacho de homens menos escrupulosos. Estamos no sec XXI e não numa república islâmica e.... quem gostar de burkas..... Mude-se para esses lados! Quem sofre porque não pode evitar, é uma coisa. Quem sofre porque "gosta", não me merece qualquer tipo de consideração. Isabel.