Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Sou MUITO SNOB!


Sou muito snob!

Chamem-me o que quiserem mas sou snob.
Sou snob pelas escolhas que faço, pelas opções que sigo, pelos trilhos que percorro.
Não sou snob por mania da superioridade, não ostento títulos nem marcas, não considero ninguém inferior a mim.
O que não tenho é paciência para ignorantes armados em intelectuais, nem para mal educados, armados em “meninos bem”.
Não tenho paciência para falsidades e hipocrisias, não entro em esquemas nem em jogos que possam prejudicar seja quem for, nunca pisei ninguém para alcançar os meus objectivos, nunca fiz dos outros, escada, nem me passou pela cabeça rebaixar alguém para me elevar.
Interessa-me acima de tudo, o conteúdo para além da embalagem; a educação e o respeito são fundamentais.
Não. Não interpretem mal: gosto imenso de ler, de ouvir boa música e aprecio todas as formas de arte._ Como já disse, não tenho pachorra para piroseiras.
Considero-me uma mulher informada e gosto de dialogar com pessoas inteligentes, informadas e com sentido de humor.
Já me apaixonei por electricistas e por professores universitários, não são os diplomas que me interessam: é o bom gosto, o "savoir- faire", a classe e a integridade das pessoas que me cativam.
Sou super orgulhosa da minha família e das minhas amigas virtuais e reais. São mulheres fortes, inteligentes, lutadoras e assertivas.
Mas sou snob.
Sou extremamente snob porque não tenho a mínima das pachorras para pessoas sem escrúpulos, mal formadas e até desonestas.
Posto isto, pensem e digam o que quiserem: Eu nasci assim, de nariz empinado e cauda no ar como uma poldrinha correndo pelos prados e sorvendo o vento.
Esta sou eu: quem quiser aceitar-me como sou, óptimo.
Quem não quiser….Não se aproxime!

Bom Ano a Todos!!
Isabel

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Nesta Época Natalícia....


Nesta época do ano quase somos obrigados a ser Felizes: parece mal não andar aos pulos de sorriso nos lábios e presentes nas mãos; parece mal não enviar as boas Festas e retribuir as que nos enviaram.
Parece mal a tristeza, a tristeza por não podermos "comunicar" com aqueles que nos deixaram um buraco no peito com a sua ausência.
Durantes estes dias, senti imensa vontade de contar "montes" de coisas à minha mãe.
Às tantas, dei por mim a falar sózinha porque a minha Fé me diz que ela me ouve e olha por nós...
Às vezes digo-lhe: mãe, já viu as suas netas?? Já viu como estão lindas e crescidas??
Outras vezes lamento-me como o Calimero:_ "mãe, já viram a injustiça que me fizeram? Já viu as injustiças deste Mundo?? "
Sei o que estão a passar, nestes dias, as pessoas que não conseguem estar felizes porque perderam alguém significativo: o marido amado, as amigas íntimas, uma pessoa especial.
A essas pessoas recomendo vivamente o livro que estou a ler neste momento: "Morrer é só não ser visto" de Inês de Barros Baptista.
Vou reproduzir um texto que sublinhei: " Quem sabe se não era isto que lhes estava destinado? Talvez a missão deles entre nós estivesse já terminada....Mas perguntei muitas vezes porquê. Porquê eu? Porquê eles? Que mal fiz eu para merecer isto? Que castigo é este? Quem é que me fez uma maldade tão grande? Foram perguntas que fiz muitas vezes a mim própria, confesso que com alguma vontade de ter paciência com Deus. Hoje, sei que, para encontrarmos respostas, temos mesmo de nos interrogar." _ Depoimento de uma mulher que perdeu o marido e os filhos num desastre.

Eu fixei a última parte: para encontrarmos respostas temos mesmo que nos interrogar.
Nesse processo vamos fazendo o luto, vamos "resolvendo" dentro de nós a injustiça da perda, a dor da ausência.
Vamos sorrindo todas as três, nesta casa.
Uns dias mais outros dias menos.
Mas acima de tudo, vamo-nos fortalecendo acreditando que o Amor é Eterno e prevalece para além da Morte.
Afinal foi para isso que Cristo nasceu: para nos ensinar que a vida é uma passagem para a Eternidade.
Um beijo do fundo do coração...

Isabel

sábado, 26 de dezembro de 2009

QUE POSSO EU FAZER PELO MEU PAÍS??


Estava no duche e veio-me a inspiração;
Enrolei-me numa toalha e tive que vir escrever: se a vida dos escritores é assim, não lhes invejo a “sorte”)
Estava eu a pensar com os meus botões: QUE POSSO EU FAZER PELO MEU PAÍS?
Toda a gente nos olha com olhos de desprezo quando vamos comprar alguma coisa à loja dos chineses; pois bem, este fim de semana fui a um grande Centro Comercial fazer as últimas compras de Natal para as miúdas: qual é o meu espanto quando entro na Zara e pego em algo….que vendo bem, tinha lá escarrapachado: “made in China”????
O facto é que toda a indústria de vestuário_ tirando os Capotes alentejanos e os casacos e gorros da Serra da Estrela_ ,está de rastos em Portugal.
Posso não estar bem informada mas digam-me o nome de uma marca de roupa portuguesa!!!???
_Lembro-me que a mãe nos dava sempre no Inverno malhas da Sidney que eram óptimas. Que aconteceu a essa marca?_
Li numa revista, que à globalização “chinesa”, se escapam as grandes marcas tipo Luis Vuiton, Hermés, etc.
Claro que estes artigos são comprados por meia dúzia de pessoas, encomendados por medida, custam os olhos da cara ...e até já existem boas imitações nas feiras!!
Os miúdos vestem GAP, Spriengfield, Zara, Stradivarius, etc.
As coisas para a casa vão-se encontrar no Gato Preto-
O que é que isto tem de Português??
Não chateiem os chineses: eles estão cá porque os políticos portugueses o permitiram e o quiseram!!! _ aliás como diz o meu pai com seu mordaz sentido de humor, cuidado com eles!! Se se lembram de fazer xixi, todos ao mesmo tempo para o nosso lado…Somos capazes de morrer inundados!!
É claro que me custa imenso saber que estou a explorar mão de obra barata e a comprar trabalhos executados por crianças que deveriam estar na escola!!!
Mas …Que posso eu fazer?

Costumo comprar para mim uma marca espanhola gira e fora do vulgar que existe numa lojinha simpática da minha vila.
Até que ponto aquelas coisas são mesmo manufacturadas em Espanha??
Que temos nós, Portugal, além dos vinhos, cortiças e raças autóctones??
Que temos nós manufacturado??
Sei que temos grandes cientistas, infelizmente a maioria radicados no estrangeiro, que descobrimos os transístores em papel e que o António Damásio nos EUA descortina os mais intricados mistérios da mente humana. Até uma prima minha médica a fazer investigação na Bélgica, ganhou um prémio há uns anos a fazer investigação sobre a vitamina A!
E para além disso??
Quem são os poucos agricultores portugueses que plantam olival, que criam raças autócnones em regime extensivo, que se lembram que os animais herbívoros foram criados por Deus para correr no pasto, para se alimentar de erva, feno e silagem e que os concentrados são apenas um suplemento para épocas de carência?
Quantos se lembram disso?
Quantos vendem “bem” cavalos Lusitanos, (óptimos), cavalos Sorraia, (um verdadeiro milagre genético), quantos criam perus pretos em extensivo, porcos nacionais de raça preta, no campo, e cabras nacionais??
Muito poucos, embora eu tenha a sorte de conhecer alguns que até foram meus colegas de curso e amigos.
Por este andar sinto-me impotente e triste.
O que é Nacional é BOM
Mas onde é que está???

Beijos e obrigada por me lerem!
Isabel

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O HOMEM DOS MEUS SONHOS


O homem dos meus sonhos.

O homem dos meus sonhos, não fala muito, mas quando fala, sabe exactamente o que diz;
O homem dos meus sonhos não tem medo de nada a não ser de perder aqueles que ama.
O homem dos meus sonhos tem muitas cicatrizes das guerras da Vida, mas mantem o sorriso incólume e a Esperança e confiança intocáveis.
O homem dos meus sonhos, tem uns braços longos para me abrigar e um peito onde apetece encostar a cabeça;
O homem dos meus sonhos, sabe ouvir-me e sabel ler-me; Gosta da música que eu oiço e sente os Poemas que eu leio.
O homem dos meus sonhos, é simples e puro como um infante mas sabe defender-me e defender-se da Maldade;
O Homem dos meus sonhos é leal e honesto e não sabe o significado da palavra "traição";
O homem dos meus sonhos Arrisca Tudo porque nada tem a perder....
O homem dos meus sonhos, é o meu porto de abrigo, a latitude e longitude dos meus sentimentos;
O homem dos meus sonhos anda por aí.
O homem dos meus sonhos....Há-de encontrar-me...Um dia:)


Isabel

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

REVOLTA


Hoje sinto-me cansadíssima. E não é fisicamente: é moralmente.
Como vou resistir mais um ano numa escola onde fui mal avaliada quando fiz tanto esforço para ter uma nota de jeito??Esforço que me obrigou a abandonar os últimos momentos da minha mãe para estar presente naquela escola!!
Eu, Isabel Maria, que tenho mais Curriculum que os meus avaliadores!!
Eu que fui convidada duas vezes para fazer mestrado e não fui porque era caríssimo e tinha 2 filhas para criar sózinha??
Eu, que dou aulas em 2 escolas: uma pública e outra privada!! Eu que já dei todos os anos de escolaridade, que já ajudei a preparar amigos para exames de Biologia que eram necessários para passar de bacharéis a licenciados??...
Como vou agir?
Como vou enfrentar as "chefias" sem tremer??
Será que este ódio é apenas inveja porque fui representante da DREL, (no tempo do governo PSD), no Conselho Municipal de educação socialista desta vilazinha??
Sim, eu, Isabel, tive reuniões com o presidente da Câmara, com a Directora regional de educação, com todos os directores de escolas públicas e privadas do Conselho!! Eu elaborei relatórios todos os anos em que relatei toda a realidade educativa sem qualquer preocupação de atingir ou agradar a alguém???
Sim, eu fui representante da DREL neste Conselho ...Mas não foi um tacho, porque juro pela minha vida: desse trabalho nunca ganhei um tusto!! Nem um Cêntimo!
Deve ter sido por isso que o goveno mudou e me mantiveram em funções- Demiti-me sem dizer nada, ausentei-me, ignorei-os. Sim, ignorei os socialistas... E agora??
E depois aparecem-me comentários do tipo: "Só os coiros estrebucham"!!!!
Coitadas destas pessoas: pela maneira como escrevem nota-se a educação que lhs foi dada e os valores porque se regem.....
Nem Cristo agradou a todos....Porque hei-de eu querer agradar?
Nunca o conseguiria!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Dedicado à ministra de educação e aos seus acólitos.


Dedicado a todos os falsos, hipócritas, engraxadores, sacanas e trepadores.

Dar aulas não é trabalhar numa fábrica de rolhas ou encher sacos de empreitada.
Não se mede em números. O “numericismo” que envenena todo o processo de avaliação é filosoficamente o processo mais hediondo e hipócrita que há.
Que me interessa não ter faltado uma única hora de aulas, se as minhas interacções com os alunos forem péssimas e a minha preparação científica medíocre??
Dizem-me as chefias: “ a vida profissional compete com a vida pessoal! Agora é assim!”.
Ok: quem pode ensinar bem, com o coração nas nãos porque deixou o filho doente em casa ou a mãe sozinha, a ser operada a um cancro?
Quem pode ensinar bem, estando deprimida, triste, preocupada?
Os alunos não têm a mínima das culpas: mas há que reconhecer que ser professora, daquelas a sério, exige muita disponibilidade intelectual e emocional!! Não é tarefa fácil! Não estamos a fabricar rolhas! Não estamos a cumprir “metas empresariais”!!!
Estamos a lidar com seres humanos!!
As chefias que nos avaliam, deviam questionar a sua própria humanidade: até a legitimidade que têm é frágil: afinal foram eleitas sem concorrência!
A “fofoquice” e a maledicência, invadiram as escolas!!
Há colegas que recomendam que X ou Y não tenha cargos de direcção de turma. Que legitimidade têm para o fazer??
Quem são essas pessoas e o que demonstraram até agora??
Ser boa directora de turma é perguntar o signo de cada aluno para lhe desenhar a carta astral?
Será que declaram impostos, essas ditas “astrólogas” do quanto cobram por “consulta”??
Ouvi colegas, o ano inteiro, revoltarem-se contra as aulas assistidas e dizerem: “eu não estou para me sujeitar a isso! Primeiro que tudo está a minha família e os meus filhos!”
Essas colegas, nada mais fizeram do que cumprir o seu horário…E chegaram ao final do ano lectivo com a ambicionada avaliação de “Bom”.
Outras, apesar de estarem a viver “n” problemas somados, mães divorciadas sem apoio, filhas depauperadas pela dor dos pais e que quiseram dar o seu melhor e mostrar a sua competência científico pedagógica e que no final receberam o prémio de “regular”.
Há coisas que não se medem QUANTITATIVAMENTE MAS SIM QUALITATIVAMENTE!!
Vale mais uma aula bem dada do que 5 aulas sem qualquer interesse!
Quem sou eu para avaliar seja quem for? Não sou ninguém nem me atrevo a fazê-lo!
Mas tive filhas a estudar na escola onde trabalho. E sei as aulas que elas tiveram!!
Não: a vida profissional não pode competir com a vida pessoal.
Nem sequer se põe essa opção! Quem não está bem pessoalmente não pode estar bem profissionalmente!
Quem vive num ambiente recheado de graxistas e de “bufos” não pode trabalhar bem!
Digam a quem foi avaliado onde errou, quando errou e como errou!
Não lancem bocas para o ar tipo. “há 3 anos veio cá uma mãe mostrar o caderno da filha….e não tinha quase apontamentos nenhuns!”
Quem foi a encarregada de educação que se queixou? Que hipótese foi dada à professora de se defender?
Que dados concretos comprovam que a directora de turma não exerceu correctamente as suas funções?
Apontem-nos, indiquem-nos! Mostrem as ditas “evidências”!
Como disse atrás, não sou ninguém para avaliar seja quem for.
Conheço-me e conheço as minhas competências.
Sei que tive uma relação óptima com os encarregados de educação no ano em que fui avaliada. Sei que tive uma belíssima relação com os alunos!
Sei que detectei problemas no 6º ano _ problemas que em 5 anos ninguém reparou_ e que os encaminhei para os serviços de psicologia e apoio.
Estive disponível, sempre, para receber pais, dando até o meu número de telemóvel para os atender fora do meu horário!
Não: não me lembrei de substituir a colega que faleceu. O estado de choque em que todos ficámos, fez com que nem nos lembrássemos disso!!
A qualquer momento esperávamos o professor que vinha substituir a colega falecida e …mesmo que quisesse o meu horário não era compatível!!
Ao ser avaliada desta maneira, colaram-me um rótulo de “incompetente” na testa. E como sou uma professora “incompetente” não posso dar uma “má imagem da escola”.
Ao prejudicarem-me por faltas devidamente justificadas, quiseram arrasar a minha auto-estima e culpabilizar-me por coisas que não quis e que não desejo ao meu pior inimigo.
Já me avisaram que este ano estava a faltar muito: o ano da gripe A: em que eu fui “prendada”com a dita, assim como a minha filha mais nova. Foi o próprio delegado de saúde que me mandou ficar em casa.

A minha consciência está tranquila. A consciência dos avaliadores e a consequência dos seus actos fica com eles.
Deus é grande e não costuma dar a carga maior do que o burro.
Sou forte e imune a críticas que considero injustas.
Não brinco com os meus alunos: Não me regulo por estatísticas.
Nas escolas portuguesas, baixa-se a fasquia até que os menos estudiosos atinjam os “objectivos” e passa-se de ano os alunos “por antiguidade”.
Que futuro terão esses jovens se nunca forem habituados a trabalhar para atingir “competências”?
Eu não sei. Já nem é problema meu: é problema deste sistema, da ministra da educação e dos sindicatos que permitiram que isto acontecesse.
Não sou perfeita e sei que a perfeição não existe!
Confesso que sou distraída e despistada.
Mas não brinco com as coisas sérias.
Cumpro as minhas funções o melhor que posso e sei.
A avaliação que deram, apenas serviu para desmotivar: a mim e a quem achava que merecia mais.
Ponham um inspector do ministério da educação a observar as minhas aulas_ até com isso me ameaçaram!
Por amor de Deus! Façam-no!
Estou perfeitamente tranquila.
O mesmo não posso assegurar de pessoas que me acusam de coisas que não são concretas e que não podem provar.
Deus é Grande.
Tenham uma boa noite.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009


“Celebração da Palavra”

Hoje fez um mês que perdemos a Helena, num grave acidente na EN114.
Com a nossa querida colega seguiam mais duas amigas: uma está ainda internada e a outra já está connosco a trabalhar_ a Ana.
Toda a manhã a Ana chorou, e creio que todos os dias chora ao passar naquela estrada.
Por volta das 14h30 chegou um Sacerdote – Católico, por acaso.
No bar da escola improvisou-se um Altar onde não faltou uma Grande Cruz e uma Imagem de Maria, Nossa Mãe.
Uma colega e um funcionário tocaram viola e umas canções lindíssimas.
O jovem padre começou por dizer que perante estes “acasos” da Vida, não sabia o que dizer. Que muitas vezes se questionava e perguntava a Deus porque aconteciam estas coisas.
Disse também, que de certeza, tudo tinha um Propósito e que nada na vida, era gratuito ou em vão.
Por algum motivo estávamos ali reunidos: a rezar pelas melhoras da Dora, a pedir forças para a Ana e a acreditar que a Helena estava neste momento a sorrir porque conseguiu juntar tanta gente naquele espaço.
Naquele “acidente”, naquele “acaso”, a Helena encontrou a passagem para a Eternidade, a Dora e a Ana passaram por uma Experiência que as fez, de certeza, dar Graças ao Dom da Vida…..e nós, todos nós, mesmo os mais empedernidos profissionais, “puxámos” da nossa sensibilidade percebendo a relatividade de Tudo.
Foi impossível conter as lágrimas.
_O Dom das Lágrimas_ tenho um livro que se chama assim.
Depois, o jovem sacerdote, agradeceu vivermos num País onde o estado é laico: por isso mesmo, estávamos ali naquele espaço rezando com ele e poderíamos, se o quiséssemos, celebrar amanhã outra cerimónia com um Pastor protestante, hindu ou muçulmano.
Olhámos uns para os outros espantados: não nos tinha ocorrido uma cerimónia ecuménica.
Percebi, pelas suas palavras que Deus é Amor: toda a “liturgia” frisou esse facto: Deus, ama-nos.
Mesmo quando parece que nos abandona, Ele nunca deixa de Amar-nos.
Não interessa a linguagem ou a religião com que falamos com Ele.
O que é importante é que Deus é Amor.
Relembrou-nos que perante os mistérios do destino, até Jesus Cristo teve momentos de dúvida quando no sofrimento da Cruz, pediu que Deus afastasse Dele Aquele Cálice.
Saí de lá destroçada e ao mesmo Tempo cheia de Fé e esperança.
A Deus nada é impossível, e nada, mesmo nada, acontece por acaso.

Isabel

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

MACHISMO PURO E DURO!! OU SERÁ MISOGINIA???


AO LER A FOCUS DESTA SEMANA, DEPARO-ME COM O COMENTÁRIO QUE PASSO A REPRODUZIR “IPSIS VERBIS”:

“Hoje a mulher beija de língua num primeiro momento, faz sexo oral no segundo e de tudo no terceiro. É uma distorção” – TOM WOLFE in ISTOÉ.
1º comentário: _A mulher faz estas coisas sózinha??
2º: _ Se a mulher não o faz sozinha… é porque o faz com um homem, supostamente.
Então, há aqui um erro crasso para não chamar machista retrógrado ao autor!!
Se o sr. Tom Wolfe dissesse “as pessoas fazem”…..Eu aceitaria e até concordaria.
_Em minha opinião há coisas que só têm gosto, valor, sabor, num contexto de envolvimento emocional!!!_
Não podia ser mais machista e até misógino falar da mulher como a “grande pecadora” que vulgarizou a sexualidade!!
Afinal, em que século estamos para que ainda se publiquem comentários destes???
Continuamos na cepa torta do século XIX: o que fica bem a um homem fica mal a uma Senhora!!
Até quando as mentalidades permanecerão assim??
Será que ainda não ultrapassámos o complexo da Eva que deu o pecado a conhecer ao Adão? Será que ainda não assumimos algo que até a Bíblia Sagrada assumiu?
Será que continuaremos a parir em dor como modo de expiação dos nossos pecados??
Será que as Burkas vencerão a idade das luzes??
Dá que pensar, não dá??

Como dizia uma amiga minha: “Isabel, ponha fotografias feias no facebook para se ver livre dos cromos!!”
Ponto1: Não me considero bonita.
Ponto 2: Não sou, nem quero ser, objecto de tentação para ninguém;
Ponto 3: Só olha quem quer….

Abraços!!!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Amizade


Li não sei onde que a amizade seca as lágrimas que o Amor fez cair.

Obrigada amigas, pelos lenços e momentos que comigo partilharam.


Isabel

domingo, 29 de novembro de 2009

A propósito da eutanásia


CONVERSAS EM FAMÍLIA

Este fim-de-semana fui passá-lo a Lisboa, a casa de uma das minhas queridas primas que por acaso é médica. À hora de almoço, a propósito já não me lembro de quê, a minha filha de 15 anos disse que se pudesse votar no referendo votaria a favor da eutanásia pois, como dizia um escritor famoso, " o corpo é um instrumento musical que só deve existir enquanto produzir música".
A minha prima não mudou de cor porque já ouviu muitas coisas ao longo de 30 anos de práctica de medicina, exercendo a especialidade de medicina interna em dois hospitais. Calmamente, virou-se para a Maria e disse:
_ " Uma das coisas que aprendi enquanto profissional, é que em medicina não há certezas de nada!!! Lembrem-se só do caso daquele rapaz belga, que viveu 20 e tal anos em estado de coma, classificado profundo!! Pensava-se que ele estava em estado vegetativo e no entanto, ouvia tudo o que se dizia à sua volta!!... Imaginem o que é estar presa num corpo que não se pode manifestar e ouvir um grupo de médicos, dizer: esta pessoa o que é que está aqui a fazer?? A consumir recursos?? A dar despesa aos contribuintes?? Vamos desligar-lhe as máquinas!!"_ e continuou: " Eu, enquanto médica nunca colaborarei num acto desses!!"_
Depois contou diversas histórias.... Pessoas em desespero de causa que querem morrer..e chegam ao hospital arrependidas...E, é tarde demais...
O sofrimento, por vezes terminal, leva-nos a querer deixar este corpo que já não toca música.
No entanto, a evolução da Ciência, tem permitido que cada vez haja mais panaceias para aliviar esse mesmo sofrimento físico e psíquico. O sentir-se amado, desejado, como aquela mãe amou aquele filho em coma, durante 24 anos, pode fazer Milagres!!

Todos temos momentos de desistência, de faqueza. Os fortes, são aqueles que apesar de tudo e contra tudo, os enfrentam.

Deus determina a hora do nosso nascimento. Só Deus pode determinar a hora da nossa partida.

Mesmo os tetraplégicos, os mudos, os que já nem vêem e parecem não sentir, podem dentro de si compôr as mais belas sinfonias, as mais tocantes sonatas.

Marcou-me a frase: "aprendi, em 30 anos de medicina, que nós médicos nunca nos poderemos arrogar a ter certeza de nada".

Dá que pensar não dá??

Isabel

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Palavras de um jovem poeta


"Não deixarei de ser o que te ama – só por deixar de ser o que te vê..."

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

No princípio era o Verbo


Hoje, recordei num artigo da revista Focus aquilo que aprendi no meu curso, a propósito da entrega de um prémio de Investigação Científica a um cientista português:
No início, na mórula, antes mesmo do embrião, todas as células são “totipotenciais”, ou seja, contendo o mesmo material genético, umas transformam-se em células musculares, outras em epiteliais, outras em células nervosas etc.
Mais tarde, quando o organismo está formado e uma célula, por exemplo muscular, se divide, em princípio, originará duas células musculares e…. uma célula do epitélio em duas células epiteliais.
O enigma está aí: se o material genético é idêntico em todas, como “fazem elas isso”, suprimindo a acção de certos genes e activando outros??
Se este enigma for decifrado, começa a esperança para a cura de doenças terríveis que acontecem devido a “erros”, mutações, ou seja, cópias mal feitas.
Deus nos ajude a descobrir este maravilhoso enigma que os Biólogos prescrutam como os Astrónomos prescrutam os raios gama emitidos por estrelas desaparecidas há 800 e muitos milhões de anos, em busca do Big Bang.
A idade das trevas…..O princípio do Tempo...

“ No princípio era o Verbo……”

Isabel

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A CIÊNCIA NÃO TEM RESPOSTA PARA TUDO.


A Ciência não tem resposta para tudo

1- Um homem, belga, em coma profundo há não sei quantos anos, acorda e escreve através do computador que não é um vegetal.
Como é possível que ao longo de “n” anos a medicina mais avançada do mundo se espante com este acontecimento??


2. Um padre de uma aldeia interior, apaixona-se e foge com uma miúda da aldeia. Ok: se Deus nos quisesse assexuados ter-nos-ia criado como aos caracóis: hermafroditas.
No Novo Testamento não há qualquer texto_ que eu conheça_ em que Jesus Cristo condene o amor e as suas manifestações. Pelo contrário: ele perdoou Maria Madalena.

3. Cinco fetos, no final da gravidez, morreram após as suas mães terem sido vacinadas contra a gripe A.
a) 1º questão: esta vacina teve tempo, para ser devidamente testada, primeiro em animais e posteriormente em seres humanos? Não me parece.
Infelizmente, há pessoas desesperadamente à procura de um novo medicamento ou de uma nova esperança contra doenças oncológicas: pessoas que não se importam de fazer de “cobaias”. E não lhe são dadas respostas…E nós sabemos que há milhares de medicamentos a ser testados há anos.
Podem dizer-me os médicos: a vacina funciona como um estimulante das defesas naturais do organismo contra um vírus. Quantas células “defeituosas”, provavelmente cancerosas, o nosso organismo mata por dia?? _ Graças a Deus!!._
b) É normal que o organismo humano rejeite através do aborto expontâneo embriões e fetos “defeituosos”. Este tipo de abortos costuma acontecer entre o 1º e o 4º mês de gestação.
Como é que fetos vigiados, gravidezes seguidas por obstetras credenciados, morrem no ventre materno quase na altura de nascer??

Se alguém me souber responder a uma destas questões agradeço.

Isabel

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sem título


Não se preocupem

Não se preocupem quando as pessoas se preocupam com a VIDA e choram por coisas insignificantes;
Não se preocupem quando protestam e se revoltam contra o mundo e as injustiças;
Não se preocupem quando os outros parecem Dom Quixotes lutando contra moínhos de vento.

Preocupem-se com o silêncio;
Preocupem-se com a indiferença;
Preocupem-se com o cansaço e o desânimo;
Preocupem-se quando tudo parece normal e os dias parecem correr sobre rodas.

É nesses momentos, em que já não se diz nada
Que se caminha pelas linhas de comboio, à noite,
Procurando a última viagem.

PS: dedicado aos psis e amigos.

Isabel

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

HOMENAGEM


A Fé

A Fé, perante o Mistério da Morte, permite-nos sofrer a Saudade daqueles que não sabemos quando voltaremos a ver.
Mas a Fé, a minha Fé, não me permite chorar, pelo João, pelo Carlos, pela mãe, pela Ana e pela Helena.
Como posso chorar acreditando, tendo a certeza, de que partiram para A Verdadeira VIDA?
Como posso chorar, crendo que encontraram, não o fim do caminho, mas a senda da Paz??
Como me arrogo o direito de chorar, sabendo que a vida é apenas uma passagem….Para a outra margem??
Helena: hoje estive perante o teu caixão e vi os teus pais inconsoláveis, e os teus filhos de olhar carregado de espanto…
Perder os filhos é contra-natura, dizia a tua querida mãe.
Perder a mãe, é uma dor que cava um buraco no peito que nunca será preenchido.
Perder uma colega/amiga, sempre sorridente, simpática e prestável, é incompreensível.
Não sei se sofreste no momento da partida: sei que me contaram que estiveram duas horas para te desencarcerar do teu Volvo de confiança.
Sei que estavas consciente enquanto vinte e não sei quantas pessoas te entubavam, te oxigenavam, te canalizavam veias…. e outras tantas pessoas…Cortavam os ferros do teu carro. A tua cunhada disse que até as tuas botas novas ficaram em tiras…
Helena, tu que gostavas tanto de pôr as botas altas por cima das calças: uma cinquentinha alta, giraça, desempoeirada!!!:)))
Querida Helena, convivemos poucos meses mas conhecemo-nos muito.
Amiga, só espero uma coisa: que a imagem de pessoa fantástica que recordarei sempre de ti, seja semelhante à imagem que te deixei.
_Os teus pais disseram que tu adoravas as colegas!..._Que bom…..
Helena, por momentos fechei os olhos e recordei o teu carinhoso sorriso:
_Vi-te a dizer-me “ então Isabel? O que é isso? Sorri! Eu estou bem!!”_
E então, em silêncio, pedi-te….Que, onde quer que estejas, te lembres sempre de pedir a Deus por mim e pelas minhas queridas filhas.
Obrigada Helena, pelo tempo que permaneceste na minha vida.

Isabel

terça-feira, 10 de novembro de 2009

A MORTE


Como disse o Padre Feytor Pinto, na Missa da minha querida amiga de infância: " a Morte não é mais do que uma curva da estrada da Vida...Onde deixamos de ver aqueles que amamos"......

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

NOITE


Hoje, foi daqueles em dia em que precisei
De agarrar no carro, pôr a música no máximo
E acelerar por uma estrada fora, noite dentro.

No percurso, à medida que as curvas se aproximavam,
As nuvens negras desta noite Outonal
Ensaiavam uma terrível ameaça no horizonte

Quanto maior era a adrenalina, mais pontos de interrogação se levantavam na minha cabeça: “e se?”
E se?
E se o meu pulso tremer, a minha mão deslizar…Um tremor me fizer largar o volante??
E se??
E se eu deixar a noite entrar, para sempre, dentro de mim?

Isabel

RAINHA


Rainha

Quero ser a tua rainha,
quero ser amada mesmo quando limpo a casa e esfrego as janelas.
Quero que compreendas as minhas músicas e poemas favoritos,
quero que um jantar de cachorro quente, à luz de velas, se torne no mais romântico dos jantares.
Quero que possamos dividir os problemas e contando as moedas de ambos, ir ao melhor restaurante que podemos.
Quero que o passado se dissipe na bruma que lhe compete e que o futuro nos ilumine.
Quero que sejas meu amor, meu amigo, meu amante.
Não quero preocupar-me em arear as pratas e colocar a Vista Alegre na mesa, quando chegas.
Quero fazê-lo porque me apetece e não porque achas que assim mereces.
Quero que compreendas quando estou cansada e me apetece dormir de manhã,
quero que me enxugues uma lágrima se ela surgir,
quero que me dês a mão quando tenho medo e que me acompanhes quando estou só.
Quero que mandes os “pergaminhos” e a fleuma às urtigas,
porque todos somos carne, sangue e vísceras
e todos nascemos e morremos sós e nus de vaidades.
Quero que compreendas as minhas fragilidades e inseguranças
e me assegures do teu amor.
Quero tudo isto, PORQUE NÃO É NEM MAIS NEM MENOS DO QUE AQUILO QUE MEREÇO E…
MENOS DO QUE ISSO, MEU AMIGO, MEU AMOR: NÃO QUERO NADA.
Isabel

VIVA HOJE!!!


VIVA HOJE!

Há um poema de Pablo Neruda que diz isso mesmo: Viva Hoje, Arrisque hoje!!!
Quantas vezes nos esquecemos que o “presente” é o futuro do passado??
Quantas vezes nos esquecemos que tudo o que damos por adquirido: saúde, dinheiro, amor…. amanhã, podemos já não ter??
Como nos podemos dar ao luxo de calar em nós as palavras que precisamos de dizer, e alguém de ouvir, sabendo que a oportunidade perdida é como a seta lançada para o infinito?
Não ….A vida e o Tempo não nos dão “abébias”: "eles" ensinaram-me que viver o hoje, é tudo o que temos.
Não percamos Tempo.
Tudo o que temos hoje, podemos perder amanhã.

Isabel

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

OS HOMENS DA NOSSA GERAÇÃO!


Os homens da Nossa Geração.

Hoje, eu e uma grande amiga minha, dos tempos de faculdade, demos por nós, a falar de…homens.
Olhamos para nós e olhamos à nossa volta.
Infelizmente, embora não apreciemos “metrossexuais”, verificamos que os nossos companheiros de idade….Estão velhos, gordos, barrigudos, carecas, infestados de wiskies e cigarros, inseguros…No fundo, com medo de nós.
A minha amiga chegou a comparar a relação “tio/sobrinha” falando de um pretendente dela.
E eu não pude deixar de lhe dar razão. E não pude deixar de acrescentar que embora conheça muitos cinquentões com bom aspecto, estão destruídos por dentro, deprimidos, sofridos dos divórcios e dos negócios, desinteressados das coisas que valem a pena VIVER.
Alguns, já não conhecem música nem poesia, os olhos esmoreceram, o desejo terminou.
Que vos aconteceu amigos/companheiros da geração “baby boom”, como diz minha filha adolescente?
Que tristeza vos invadiu?
Percorremos os ábuns de recordações e fotografias…e vemo-los em almoçaradas e jantaradas “só para homens”, de copo na mão e coração vazio.
É natural que tenham medo.
As mulheres da minha geração são produzidas, cultas, de olhos brilhantes, sorridentes,_ mesmo que os sorrisos disfarcem enormes sofrimentos._
Nós ainda adoramos fazer amor, ainda queremos namorar, dançar músicas românticas, jantar à luz de velas.
Nós ainda temos miúdos de 20 anos olhando para nós.
Eles, têm as que se interessam pelos seus grandes carrões e aparentes fortunas.
Há cada vez mais mulheres sós, na nossa faixa etária.
Eles…Simplesmente não têm pedalada para nós…..
E contra isso….minhas amigas….como diz “o outro”: batatas.

Isabel

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

EXPOSIÇÃO


É lamentável.

Soube através de pessoas amigas que os meus blogs/notas “chocavam” muita gente. Chocavam pela sua crueza, por “parecerem uma novela dramática”, por “descerem ao baixo nível das confidências”.
Quero aqui publicamente afirmar_ e qualquer pessoa o pode confirmar de que nada do que escrevi está sujeito a censura por poder chocar “menores de 18 anos”.
Tudo o que escrevi nas minhas notas, saiu directamente de um coração magoado ou mesmo indignado para o papel.
Nada foi pensado com o sentido de chocar.
Mas a vida é mesmo assim: não é rosa: é chocante e dolorosa.
Indigna-me a falsidade e a mentira; indignam-me as aparências que escondem a podridão.
Não cometi inconfidências que possam pôr em causa o bom nome de seja quem for e muito menos o farei.
De facto, se andar para trás, muitos dos meus blogs falam em relações amorosas e muitos outros em política, Biologia, trabalho, Saúde, etc.
Meus “amigos” : uma coisa podem ter a certeza, hoje aprendi muita coisa. Aprendi que podemos ser julgados injustamente e classificados como pessoas que não somos.
Como tal, a partir de hoje, a minha Alma ficará fechada.
Não me arrependo de nada do que disse e escrevi PORQUE TUDO FOI VERDADE E PORQUE TUDO ACONTECEU. Em nada fugi à verdade e isso me deixa a consciência tranquila.
No final de tudo, só uma coisa lamento: que as pessoas que liam a “novela dramática” nunca tenham tido “oportunidade” de colocarem a sua opinião e de me pedirem uma explicação directamente, a mim.
Mas isso…Meus amigos, fica com a consciência de cada um.
Tenham um resto de um bom dia.
Isabel

domingo, 1 de novembro de 2009

Aquele que me usou. ( Com raiva no coração).


Aperta-se-me o coração quando penso que durante quase um ano vivi enganada e iludida_ não amada, apenas "necessitada", por alguém que não podia nem pode viver sem uma mulher.
Latejam-me as veias de raiva e adrenalina quando vejo uma pessoa que me dizia amar incondicionalmente, que se dizia bem formada, que assumiu um compromisso perante amigos e familiares comigo, a última pessoa com quem a minha querida mãe me conheceu, aparecer-me pelos sites da net, pavoneando-se com o estado de "comprometido com Raquel ....Blablabla".
Um homem que me explorou financeiramente, por quem eu passava fins de semana enfiada na cozinha,para "satisfazer" sua excelência!!...
Um homem a quem sustentei durante um ano!! Um homem que deixava os meus amigos escandalizados ao verem-me pagar-lhe jantares e cafés..eu uma simples professora, divorciada, com duas filhas!!!
A verdade é que já não o podia ouvir: não se calava com as "árvores genealógicas" e os parentes descendentes de Maomé, quiçá de Abrãao mesmo!!!???
Menino "bem", que se auto-intitulava "nobre", e que se comportava como o maior crápula que conheci!!
Obviamente que tive culpas: obviamente que fui sendo compreensiva, obviamente que fui perdoando, obviamente que fui aturando.
Da minha parte já não existia Paixão nem Fogo.
Era apenas uma companhia.
As desilusões foram surgindo, dia após dia, hora após hora.
Da família dele, conheci boas pessoas e conheci pessoas ôcas de cabeça, _que não Têm filhos para estragar a silhueta, que andam à cadeirada com o cônjuge e se queixam que o marido "não lhes toca" há 3 meses, e no entanto se mantêem casadas por causa das aparências...._ que vivem para o "show-off" e os únicos sonhos que acalentam são as plásticas que hão-de fazer!....
Foram essas pessoas que me fizeram perder a paciência definitivamente: a "cereja em cima do bolo".
Foi o conjugar das prioridades do homem que amei_ preferiu as primas só porque eram P-C._ , sabendo que ia atrasar as férias com a mulher amada. Férias pagas por MIM.
Dá-me raiva, ver outra idiota como eu fui, cair na "cantiga do bandido".

Mas não tem nada que me dar raiva: ela de facto, apesar de bonita tem cara de burrinha e como tal vai ter o que merece.

Quero encerrrar de vez este infeliz capítulo da minha vida.
Quero olhar em frente.
Quero acreditar que há pessoas bem formadas.
Quero acreditar que ainda há homens capazes de Amar com sinceridade!

Cada um ten aquilo que nerece. Acho que já paguei bem caro pelos meus erros.
Agora mereço a Paz e a Tranqulidade de um Amor sincero.

Por hoje, ficamos assim.

Isabel

sábado, 31 de outubro de 2009


Hoje estive uma hora ao telefone com o delegado de saúde da minha região depois de ter passado uma noite horrível sem conseguir baixar a febre da Filipa...E fiquei esclarecida!

Então é assim:

1. a Gripe A é o resultado da mutação de vírus da gripe sazonal com gripe aviária e suína.
2. A gripe A é menos agressiva que a gripe sazonal: apenas se TRANSMITE OU CONTAGIA COM MAIS FACILIDADE.
3. A gripe A trata-se exactamente como a gripe normal. O Tamiflu só é dado a pessoas chamadas de "risco", (que sofram de insuficiência renal, cardiopatias), etc.
4. Fiquei a saber que apesar de a "saúde 24" não ter detectado por causa das minhas febres baixas, eu tive GRipe A há 8 dias, apanhei dos meus alunos e transmiti à minha filha.
Não fiz febres altas porque a cirurgia qo cérebro pode ter-me alterado o "termóstato cerebral". O Delegado de Saúde chegou-me a explicar que quem tem uma temperatura basal baixa, uns 37,5 correspondem a 38,5 numa pessoa normal.
A Filipa continua bem/mal: temperaturas altas e difíceis de controlar, garganta dorida e tosse seca (tal como eu).

Como, Graças a Deus, a minha filha não tem doenças congénitas...tudo está a correr como o previsto: 3 a 4 dias de febre e ficará boa _se Deus quiser.
Relativamente à análise para detecção da referida gripe A só há um laboratóro em Portugal fidedigno e que conta para as estatísticas nacionais: O Instituto Ricardo Jorge.
O laboratório de província onde estava a pensar levar a Filipa na 2ª feira não é considerado fidedigno.

Finalmente, ontem o delegado de saúde tinha dúvidas de que a Filipa teria gripe A, hoje tem a certeza.

Clínicamente falando, o caso está arrumado.
Tratamento: vitamina C, muitos líquidos, Brufen e paracetamol.
Beijos e....Obrigada pelo apoio que me deram!!!
Espero ter ajudado a esclarecer alguma dúvida!!
Só mais uma nota: esta gripe A não "ataca" tanto as pessoas idosas porque essas já ficaram imunes com a Asiática como foi o caso do meu pai... O vírus era da mesma estirpe e serve agora de vacina!

Isabel

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

ISTO NÃO é POESIA!


Vou vivendo
Dia após dia
Momento após momento…
Esperando pelo encontro certo
No momento exacto.

Vou sentindo
As saudades que doem todos os dias, horas e minutos,
Dos que amei e perdi, dos momentos que não possuí.

Quando o coração aperta,
Um sorriso amigo me chega
Um olhar cúmplice me basta.

Nada quero, nada sou.
Saudades do que não vivi
Mágoa eterna pelo que perdi.

E…Vou vivendo
Vou respirando, sorrindo, brincando,
Sentindo-me cada vez mais viva
Sabendo que o tempo escorre,
E que a morte se aproxima.

Vou vivendo
Dia após dia
Momento após momento…
Esperando pelo encontro certo
No momento exacto.

domingo, 25 de outubro de 2009

MULHERES DO MEU SANGUE!!!


Mulheres do meu sangue

Não sei a ancestral história das mulheres que me precederam no sangue e no nome.
Mas tive o privilégio de conhecer algumas que hoje me enchem de orgulho e me fazem escrever estas palavras….
A minha bisavó Moura Portugal que com o seu carinho marcou os bisnetos; a minha avó paterna, uma das primeira parteiras licenciadas pela Universidade de Coimbra_ contra a vontade da família_, mãe de oito filhos, católica praticante, conta o meu pai que quando as senhoras lhe pediam para fazer abortos chamava os 8 filhos à sala e lhes dizia que abortar era matar_…Uma avó, que ainda hoje, pessoas que encontro na rua me dizem: “a sua avó era uma Santa!”….
A minha avó materna, a menina no meio de 7 irmãos, uns mortos pela pneumónica, outros na 1ª guerra Mundial. A menina que herdou as propriedades da família e viu o meu pobre avô perder tudo em incêndios, feitores desonestos, etc….Que viu morrer uma das 3 filhas e sobreviveu….Que me levava para o quarto e me mostrava às escondidas revistas do Tempo do exílio da Rainha Dona Amélia, Dom Carlos, Dom Luís, Dom Manuel….Imagens que me marcaram para sempre….
As minhas tias paternas: uma estudou farmácia , (tem hoje 80 anos), a outra Histórico-Filosóficas tendo sido leitora da Sourbonne…
As minhas tias maternas…A minha madrinha de baptismo, Maria, como a minha filha, aluna que acabou o liceu com vinte a Matemática, a minha tia Elvira, perfeita dona de casa e senhora de um humor e alegria contagiantes…Que eu vi morrer com uma doença horrível_ “Doença do Neurónio Motor”_ sem uma queixa, sem um “ai”, sorrindo até ao último dia mesmo quando já não conseguia falar…
A minha mãe…Com as suas fobias que a impedia de entrar em aviões ou navios mas que soube enfrentar a doença horrível que a levou em 11 meses com uma estoicidade inexcedível….
As minhas filhas, finalmente as minhas amadas filhas: amantes de animais como os pais, praticantes de ballet e de equitação, corajosas como tudo: acabam de cair o cavalo, montam outra vez e mostram “quem manda” apesar de montarem cavalos de competição do pai…
Mesmo que cheguem a casa com uma ou outra nódoa negra nem mencionam. O que sei é por curiosidade: “mãe, sabes o que é que o Hasting fez à Maria??”…
_O Hasting, cavalo com que o meu ex marido foi campeão nacional de dressage e que hoje apenas é um cavalo de cobrição, cheio de hormonas que só lhe dão para fazer disparates!!._
As minhas filhas são um exemplo de coragem e persistência…filhas de pais separados, uma delas disléxica, lutam de nariz empinado para serem umas meninas exemplares.
Amo-vos Mulheres, sangue do meu sangue!

Isabel

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A AVÓ


Hoje ao jantar, a Maria ...sem mais nem menos, disse-me que "o Natal sem a avó não era Natal".
Explicou-me que muito raramente chorava e que nem no enterro da avó o tinha feito.... Disse que há pessoas assim: embora sintam uma enorme dor não a conseguem expressar… eu compreendo-a porque sou igual.
Relembrou o quanto a avó, minha mãe, adorava as filhoses de Natal e que no último em que esteve connosco, 2007, embora fizesse todos os dias a viagem Coruche- Lisboa para fazer tratamentos ao peito recém operado, só pensava na festa e nas filhoses....._Que quase ninguém aprecia muito...Sobram sempre imensas....Mas é tradição._
Pois bem, no Natal de 2008, uma amiga da minha mãe, ofereceu lá para casa dos meus pais, uma caixa das ditas filhoses que a minha filha se encarregou de levar ....
Pensou então na ironia da avó já não estar presente, para as saborear.....E a Maria contou-me, que foi carregando essa caixa de doces natalícios que a avó já não ia comer, que finalmente conseguiu chorar desalmadamente, soluçando em plena rua.

Eu ouvi-a com o coração do tamanho de um átomo.
Não disse nada: que lhe poderia dizer???
Só uma coisa nos consola, a nós católicos: a certeza de que a avó/mãe, está lá no Céu, muito feliz, preparando-se para passar mais um Natal connosco.

Isabel

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Monarquia e democracia


Hoje, o Dr. Louçã afirmou perante as câmaras da RTP, que a monarquia é o contrário da democracia!!!!:))) _ como eu sou ignorante!_ Ainda não tinha percebido que a Suécia, Noruega, Espanha, Bélgica, etc... eram ditaduras!!!

sábado, 3 de outubro de 2009


Os aviões não voam para trás.
Quando descolam, não há volta a dar: para cima e para a frente é o caminho.
Por mais que as saudades dos tempos passados nos esmaguem o coração, é preciso ser forte e acreditar que o voo será tranquilo e que à chegada encontraremos a Paz.
Por mais que a solidão doa como um punhal no peito, nada mais se pode fazer do que aceitar a dor e acreditar que…Um dia, ela passará.
Isabel

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Faz-me chorar!


Faz-me chorar

Há bebés que não choram, logo, não respiram, no momento do nascimento.
As parteiras experientes dão-lhe uma palmada que lhes desencadeia o mecanismo do choro e consequente respiração.
1,2,3 Vou nascer outra vez….. Lembram-se dessa música??


A letargia atingiu-me de tal modo que a dor surda que trago no peito se assemelha a um nenúfar monstruoso que desabrocha do meu coração, sugando tudo à sua volta…
Não consigo libertar-me e gritar, dizer uns palavrões, dar uns pontapés por aí…
Hoje lembrei-me que ….fiz tantas coisas mal..que errei tanto…que chateei….que não compreendi,…que,…..fiz tanta coisa imperdoável…
Mãe….Estavas com a vida por um fio, mas como te descobriram diabetes, eu chateei-te para controlar os doces….
A Helena,a minha melhor amiga, tinha o marido a morrer e negou-lhe uma laranja! Uma porra de uma simples laranja que ele tanto lhe suplicou dizendo que estava farto da fruta cozida “recomendada” pelos médicos!!!......
Mãe, pensei que estavas a ter um AVC quando perguntei onde guardavas as camisas de dormir e tu espantada não conseguiste explicar….Mãe, percebeste a minha aflição? _ Não, não era AVC nenhum…Eram as toxinas que o teu fígado metastizado em segredo, já não conseguia metabolizar….
E não choro. Mantenho-me impassível.
Pediste-me para morrer em casa e eu não cumpri o teu desejo.
Merda, como me posso perdoar?????????????
Mas o que é isto??
Que fazemos nós???
Em que criaturas nos tornámos.????
Mãe…rebobina a cassete: faz o filme voltar ao princípio…Por favor,…..
Chama-me nomes e diz que eu sou uma merda de filha que ainda por cima te chateei com os meus problemas….
Se a morte é um momento mágico, a vida também o é. E cada momento é único e irrepetível….Quando aprenderemos tal lição??
Mãe, porque não nasci cigana para fazer um berreiro danado no tua missa, no teu enterro???....
O que me fez ser assim??
Talvez a certeza absoluta de que estás muito melhor do que eu e a certeza do reencontro me façam sentir que já nada tem importância e que não há volta a dar ao passado……
Talvez a noção fria e real de que este filme não pode ser rebobinado me façam permanecer num mar da tranquilidade lunar, sem ventos nem tempestades, à espera daquilo que a Vida me trará, quer eu queira, quer não.
“Pai, afasta de mim este cálice!”
E o cálice foi bebido até ao fim….
É esse amor transcendente, ilógico e poderoso pelo Crucificado que me dá paz….
Graças a Deus.

Isabel ( Novembro de 2008)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ingrid Bettencourt


A dor no peito, o peso, a opressão, são por vezes moderados com pequenas coisas que me fazem pensar que o Ser Humano é capaz de se superar e de atingir limites considerados intransponíveis.
Hoje, depois de chegar de casa de minha mãe, enquanto tratava da cozinha ia vendo o telejornal como sempre faço.
Fiquei….Sem palavras quando vi a Ingrid Betencourt na TV.
Esta mulher, apareceu na TV porque vai receber o prémio príncipe das Astúrias, aqui ao lado.
E porque vai ela receber esse prémio??
Porque resistiu 6 anos em cativeiro, no meio da selva da Nicarágua, nas mãos dos guerrilheiros das FARC.
Porque teve a vida em perigo durante 365 dias X 6 anos;
porque caminhou debaixo de chuva e sol;
porque esteve longe de tudo quanto amava e conhecia;
porque durante 6 anos nada soube dos filhos;
porque nunca desistiu de lutar pelos seus ideais;
porque não se RENDEU nem conhece o significado de tal palavra;
porque não soube o que era o conforto de uma casa, porque derrapou na lama, porque dormiu debaixo de chuvas tropicais, porque conviveu com toda a espécie de insectos, aranhas venenosas, animais ferozes e o mais perigoso de todos: os seus “humanos” carcereiros.
TEVE FÉ.
Às tantas a jornalista perguntou-lhe como foi possível sobreviver tanto tempo, a tanta coisa num meio tão hostil: e ela respondeu_ Tive sempre Fé em Deus. Soube sempre que Ele nunca me abandonaria!_
No pulso continua o terço construído por ela com corda e pequenas pedras ou pedaços de madeira: o terço que nunca larga, símbolo do cárcere e da liberdade.
A sua voz é tranquila; o seu olhar transmite uma paz indizível, as suas palavras não são rebuscadas mas simples e transparentes…Diz: “ aprendi a ser tolerante, a não dar importância às coisas que não a merecem, hoje aprecio mais ter um tecto, dormir numa cama, a companhia dos meus filhos e, privilégio dos privilégios: poder dizer NÃO.”
Terminou a entrevista afirmando que pretende vir a Portugal visitar a Nossa Senhora de Fátima.
Dos seus olhos líquidos, escorre amor, das suas palavras sobressai a paz, do seu porte altivo, a tranquilidade de quem sabe que já se ultrapassou a si mesma.
Na minha mesa de cabeceira está o seu livro que se chama “Com raiva no coração”.
Pois. Esta mulher extraordinária é a prova provada de que o ser humano é tão complexo e perfeito que a raiva pode conviver com o Amor dentro do mesmo coração.
Ingrid Bettencourt, mulher nicaraguense e do mundo:
O meu respeito por ti e pela tua história deixa-me sem palavras.
Obrigada por existires.


Isabel (Outubro 2008)

domingo, 27 de setembro de 2009




Mais de 50% dos portugueses são estúpidos e...Como cada um tem aquilo que merece....Dou-vos parabéns pelos belos 4 anos que nos esperam!!



Pelo menos...vamos ter TGV para fugir mais depressa deste país de treta que faz de pedófilos, juízes....



Pois pois.... Como dizia o outro, "à mulher de César não lhe basta ser séria, também tem que parecer!".



Dou aulas numa escola onde os ciganos têm rendimentos mínimos, material escolar, computadores e comida de graça...e os pais passeiam em altos Mercedes e Audis!!! _Mas esta gente vive de quê??



Eu não sei...Licenciei-me numa Universidade QUE EXISTE MESMO, as minhas filhas pagam todo o material escolar e alimentação....E eu ando num Seat comprado em 2ª mão.



Sou muito orgulhosa das minhas origens mas hoje...tenho vergonha de ser portuguesa!


Isabel




sexta-feira, 18 de setembro de 2009

EU?????


Hoje, a minha melhor amiga classificou-me como uma mistura de "Tia" com "Guerrilheira Talibã":))))


Acho que é uma boa classificação para mim!:))


Pois é...Nunca ninguém é apenas uma coisa, eu acho...Somos sempre dentro de nós, uma mistura de muitas coisas....

Ou..Será um caso de dupla personalidade??


Dá que pensar.....


Beijos....A quem me lê.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Tirem-me os "caroços" das uvas!!!


Saber VIVER.

Respiramos, o sistema circulatório funciona ritmadamente,
Os neurónios conectam-se e desconectam-se.
Emocionamo-nos: a Alma, chora ao ouvir uma música, comove-se perante um quadro ou um poema, Vibra.
Indignamo-nos: com as injustiças, com os erros, com aqueles que se recusam a entender que existe algo para além de si mesmos.
Sorrimos e rimos com aquilo que nos ajuda a perceber que há muitas maneiras de entender o Mundo, sendo que uma delas é o Humor.
Apaixonamo-nos,
por um olhar, um perfume, uma frase especial dita na altura certa.
Sofremos: perdemos quem nos ama e a quem amámos,
Recordamos para sempre quem nos marcou indelevelmente.
É a nossa Natureza e dela não podemos fugir.
Há também quem se recuse a assumir que sente, que sofre, que chora, que ama e que ri. Esses são os que de verdade não Vivem: apenas têm um corpo que executa as funções vitais e segue os instintos animais.
Na enorme diversidade da Natureza distinguimo-nos por possuir um córtex cerebral capaz de apreciar a Beleza e fazer dela o sentido da Vida.
Mas o que é Saber Viver??
Hoje, compreendi, que é como saborear a fruta: sorvendo o néctar, deitando fora os caroços de mágoa, esquecendo as cascas grossas que tivemos que vencer para atingir o âmago.

PS: Chamem a criada da Carolina Patrocínio!
Preciso que me descasquem as uvas e descarocem as cerejas!!!

Isabel

APENAS EU


Eu...Sou apenas Eu: Uma mistura de Alma,

carne em sangue,

amores, ódios,

memórias, raiva e perdão.

Eu, sou apenas eu e quem me entender, tem-me.

domingo, 13 de setembro de 2009

AS SENHORAS E AS GAJAS


As Senhoras e as gajas.

Tenho visto e ouvido muita coisa.
Como dizia a canção, “vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar”…
Nas questões de Amor, questiono-me se não viverei no século XIX.
Não me interessa: foi assim que fui educada e formatada:
É assim o meu ser e a minha concepção de Amor.
Contam-me histórias de mulheres que têm fantasias de sexo a três, Orgias, troca de casais….
Fico estupefacta.
Onde está o amor??
O amor, para mim, implica sempre algum sentido de posse: “ eu sou tua e tu és meu”. A entrega é o pilar do Amor.
A entrega única e exclusiva.
Qualquer mulher da minha faixa etária pode ter “n” amantes , quiçá dois ou três ao mesmo tempo.
E depois? O que é que isso traz??
Nunca experimentei, mas pelo que me contaram, traz solidão, baixa auto-estima, falta de respeito e de amor por si própria.
Observo aqui no facebook mulheres que se oferecem, que se atiram, que convidam homens humilhando-se de uma maneira que as ridiculariza.
Que desespero companheiras!! Que tristes figuras… E depois tenho amigos que comentam as desesperadas “tias” solteironas e divorciadas que frequentam as discotecas “in” à procura de “gajo”, nem que seja por uma noite.
Vejo aqui mandar corações a homens casados!!
Digam-me, isto é virtual, ok.
Mas qual é o verdadeiro esposo o esposa, namorado ou namorada que gosta de ver o outro a enviar corações e beijos melosos a quase desconhecidos??
Às vezes imagino, que figura eu faria se enviasse um coração ao MARIDO de uma amiga minha??
Isto tem alguma lógica??
Devo estar velha e ultrapassada, mas a minha concepção de Amor não tem nada que ver com sexo desenfreado a 3 a 4 ou a 10 nem com traições perdoadas ou não.
Olho para mim: divorciada há 8 anos.
Já namorei sim.
Aos namorados que tive, dediquei-me inteiramente com as melhores das intenções. Enganei-me algumas vezes, é certo, _nem sempre as intenções do outro lado era coincidentes com as minhas_.
Arrisquei e perdi: mas a vida é isso mesmo.
No entanto, nada me pesa na consciência: tudo o que vivi foi sentido e desejado do fundo do coração.
Nunca enganei ninguém nem dei ilusões.
Só, ou menos só, a Vida continua: as minhas filhas, a minha casa, os meus sonhos.
Por eles perpassa a sombra de um Príncipe Encantado.
Um Príncipe que me tome nos braços, me proteja, me ame e consequentemente me seja fiel.
Quanto ao resto: homens que andais por aí: cabe-vos a vós saber o que quereis, e distinguir que há, como em todo o lado, oiro e pechisbeque, diamantes e grafite, Senhoras e gajas.
Um beijo a quem me lê!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O PERIGO DO BLOCO DE ESQUERDA


O perigo do bloco de esquerda.

Eu cá para mim, na minha inocência, pensava que BE era um grupelho de “esquerdistóides” idealistas que ainda acreditam que a salvação está no comunismo.
Do seu programa conheço apenas o apoio à despenalização do aborto, o empenho na luta pelo casamento de homossexuais e adopção de crianças pelos mesmos e…pouco mais.
Tornei-me “amiga” do Miguel Portas aqui no facebook e…claro que fui observando os comentários, principalmente no dia em que o Sócrates se debateu contra o Louçã.
Ao meter a colherada no debate, dizendo que nem um nem outro me convenceriam a votar neles começou o desvario.
Desde demonstrarem um anti-clericalismo assustador, considerando a Igreja Católica uma “coisa” monstruosa, culpada de repressão e discriminações várias, frequentada por pessoas ignorantes e sem educação até porem em causa a minha profissão de professora de Ciências, dizendo que “há muitos abortos em Portugal porque as escolas não ensinam métodos contraceptivos”..deixaram-me estupefacta mas não sem resposta.
Expliquei que, faz parte do programa do 6º e 9 º ano a educação para a sexualidade onde além do funcionamento do sistema reprodutor ensinamos a usar preservativos…o que uma bloquista considerou que me deveria “causar arrepios” pois usamos um pénis de esferovite para explicar como se coloca um preservativo….
Fui obrigada a explicar à minha interlocutora que nem pénis de esferovite nem de plástico nem verdadeiros me assustam, pois Deus criou-nos seres sexuados….
Que é que se responde a uma coisa destas??
Relativamente à monarquia consideram um sistema completamente anacrónico e sem razão de existir e que os povos do norte da Europa apenas toleram como fazendo parte do “folclore nacional”….
São também apologistas do divórcio _heterossexual?_ facilitado, como um simples quebrar de contrato. Expliquei que tinha vivido um divórcio litigioso e que ainda hoje tinha em tribunal um processo a decorrer de partilha de bens: responderam que era um disparate porque o “dinheiro não é tudo”.
Eu respondi que ao quebrar um contrato se há alguém que fica prejudicado deve ter o direito de se defender.
Enfim: fui ofendida e considerada atrasada mental pelos meus “conhecidos” do BE.
Este partido, parece inofensivo, da mesma maneira que um crocodilo bebé parece uma lagartixa…mas deixem-no crescer….
Deixem-no crescer e assistam ao fechar de Igrejas, à expulsão de padres, ao incentivo à homossexualidade_ quando eu afirmei que os seres humanos eram sexuados, logo uma bloquista adiantou: “sexuados sim! Mas não obrigatoriamente heterossexuais!!”_ e ao amordaçar de ideias que fazem parte da tradição e do ser Português.
Meus amigos, cuidado com este partido.
Eu fiquei chocada.
Estes “senhores” são de facto perigosos.

Isabel

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Aqui sentada fico.....

AQUI SENTADA

Aqui sentada nesta sala, olho à volta….e….irrita-me pensar que naquela estante tão bem arrumada, com todas as coisas que eu gosto, mesmo depois da limpeza acabada, tenham ficado grãos de poeira entre os livros;
Faz-me impressão pensar que…Depois do chão limpo restem alguns cabelos que vão caindo das nossas cabeças;
Irrita-me pensar nos ácaros que sobrevivem, na minha cama, à custa dos meus restos de pele.
No fundo, a minha casa é um ecossistema…e eu não estou no topo da cadeia alimentar.
Aqui sentada.
Aqui sentada leio que…segundo um leitor da revista Sábado, os “ricos” são todos aqueles que ganham mais ou menos 1000 euros: E então eu sou “rica”! E se eles ganharem as eleições ir-me-ão aumentar os impostos: porque eu sou “rica”!!! E como sou “rica”, tenho que contribuir para os “ditos pobres”, alguns verdadeiramente pobres, outros perfeitamente saudáveis que preferem viver do subsídio de desemprego a trabalhar!
Aqui sentada, questiono-me porque o Dr. Louçã ou o Dr. Miguel Portas não vivem em bairros sociais em vez das casas valiosas que têm e até porque não dividem os seus vencimentos pelos pobres.
Aqui sentada, irrito-me quando sei que as propagandeadas “Novas Oportunidades” do “desgoverno Sócrates” nada mais são do que uma farsa onde os alunos aprendem a escrever em Word o seu Curriculum Vitae. Eu sei: sou professora num sistema que está todo errado, num sistema em que está mesmo TUDO MAL!
Aqui sentada.
A pensar que devia tomar uns xanax’s em vez da inocente Valeriana, lembro a minha amiga de infância que hoje teve convulsões e que está presa por fios a este Mundo injusto….E não sei se hei-de rezar por ela ou como rezar: fazer o quê? Pedir a Deus que lhe dê uma morte sem sofrimento??...
Aqui sentada.Penso que me faria bem chorar….e…. sinto uma revolta tão grande em mim que me apetece limpar tudo, gritar com toda a gente, implantar uma ditadura, pôr o meu mundo na ordem.E não sou capaz…
E lentamente releio a frase tão verdadeira de Peter Drucker: “ NÃO HÁ NADA MAIS INÚTIL QUE FAZER EFICIENTEMENTE AQUILO QUE NUNCA DEVERIA TER SIDO FEITO DE TODO.”
Isabel

sábado, 29 de agosto de 2009

TENHO UMA AMIGA ASSIM...

Tenho uma amiga assim.

Tenho uma amiga que quase consegue fazer contorcionismo com a vida: de manhã vai ao enterro do filho de uma amiga e à noite à festa de alguém que se despede da vida e depois ainda, vai dançar até às 8 da manhã.
Tenho uma amiga que se irrita com muita facilidade, grita e dá berros e culpa toda a gente quando a vida não lhe corre de feição. Mas essa amiga, é capaz de dar o casaco e a roupa interior por alguém que precise.
Tenho uma amiga cuja vida é uma sequência de perdas e desilusões: divórcio, traições, perdas de amigos e familiares com doenças horríveis…
Tenho uma amiga que vê outras amigas lutar com todas as forças para se manterem vivas perante doenças “incuráveis”, e ao mesmo tempo vê um homem saudável, da sua idade suicidar-se.
Tenho uma amiga que se questiona.
Tenho uma amiga que se deixa enganar.
Tenho uma amiga que deu abrigo a um “amigo” bêbedo e que foi surpreendida por ele, na sua cama às 5 da manhã… e que…. andou aflita uma semana sem saber se tinha ficado grávida do falso amigo. _ Não perguntem porque ela não resistiu: como se resiste ao “carinho”, embriagada a meio da noite, entre o sono e a vigília?_.
Tenho uma amiga que aguentou calada essa inconveniente história de “senhores” com nomes cheios de eles e erres repetidos, sem gritar aos quatro ventos que tais “senhores” não passam de sacos de estrume.

Quero dizer a essa minha amiga, que a VIDA vale a pena: pelo ar puro que se inspira, pelo Sol que brilha, pelas nuvens que passam e até pelos dias de chuva.
Preciso de dizer a essa amiga… não que há “outros” em muito piores circunstâncias, mas que há beleza nos recantos mais obscuros que Deus faz questão de iluminar quando parece que a escuridão envolve tudo.
Preciso de dizer a essa amiga que deve levantar as mãos para o Céu pela maravilhosa família que lhe resta, pelos filhos saudáveis e inteligentes e pelos amigos verdadeiros.
Preciso de dizer a essa amiga que a solução não está no fundo vazio de um frasco de comprimidos mas no coração cheio daqueles que amamos e que, apesar de tudo, ainda nos amam.
Isabel

domingo, 23 de agosto de 2009

LES UNS ET LES "AUTRES"


“Mes amis, mes amours, mes amants…”

Do alto da minha provecta idade, 47 anos para quem não sabe, já vi muita coisa…E no que aos seres humanos diz respeito muito há para observar e ….concluir.
Falando de homens, os nossos companheiros de viagem neste Planeta, os nossos maiores amigos ou os nossos maiores inimigos, depende, cheguei a uma conclusão que vou tentar apresentar em linguagem “tauromáquica” mas que não traumatize ninguém.
Ora bem: há 2 tipos de homens: os picadores e os que têm mais vocação para toiro.
Os primeiros, parecem quase sádicos tal é o prazer que retiram dos jogos amorosos, das incertezas e inseguranças que criam, das dúvidas existenciais e outras que tais que nos fazem sentir.
Os que têm vocação para toiros são semelhantes aos masoquistas completos.
Passo a exemplificar:
Tive um casal amigo, com um casamento de 20 e tal anos em que ele a tratava como uma rainha. Todas, mas todas as semanas lhe oferecia um ramo de rosas.
Ela era licenciada, chegou a ter altos cargos na função pública e ele era um óptimo rapaz, mais simples, que não chegou a acabar o curso.
Tiveram filhos maravilhosos que pareciam ter tudo para ser o exemplo da família exemplar.
Pois bem, um dia a menina chega a casa e diz: _“ quero divorciar-me, já não te amo, estou apaixonada por outro!”_
Não estava lá para ver a reacção do meu amigo mas calculo que tenha sido….de ficar sem chão debaixo dos pés.
O rapaz deu em beber e fumar, apanhou uma úlcera gástrica, ia morrendo, ficou com os filhos e com a casa tomando conta de tudo enquanto ela partiu para o estrangeiro atrás da sua paixão.
O meu amigo é um homem educadíssimo, culto, simpático, sabe estar, e ainda por cima…É GIRO!!! Mulheres, GIRO mesmo!!
Vocês acreditam que ele nunca mais arranjou ninguém??
Na altura os nossos amigos comuns quiseram fazer o arranjinho: eu estava divorciada há mais tempo do que ele…Pois bem…Ainda fomos a uma inauguração de pintura juntos, e um dia proporcionou-se beber um copo “chez moi”.
Depois do copo e de confissões mútuas ele pediu se me podia abraçar uns minutos: esteve para aí 10 minutos abraçado a mim…talvez tenha chorado, não sei.
Depois perguntou-me: “posso cá ficar esta noite??”
E eu, calmamente e ao mesmo tempo com o coração aos pulos respondi: “Achas que isso é correcto? É isso mesmo que tu queres???”…………………………………………………………………………………………
Silêncio. Ele baixou os olhos.
Quando os levantou para mim, da sua boca saíram as seguintes palavras: “Eu sou demasiado teu amigo para te fazer sofrer!”
Eu olhei-o… e contra todo o meu desejo e natureza feminina respondi: “ Pois bem, a última coisa que eu quero é um homem que faça sofrer!”.
Posto isto, levantei-me e acompanhei-o à porta.
Ficámos amigos e ainda hoje gostamos imenso um do outro.
Ele, nunca mais teve ninguém: acho que não esqueceu nunca aquela que o “encornou” e que quase o destruiu. Continuará à espera dela??
Não sei.
Eu…Fiquei só mas feliz porque fui coerente: Só quero, na minha vida, na minha cama, no meu carro, whatever, um HOMEM que me queira a 100%.
Para o bem e para o mal.
Como dizia o poeta: “Quero amar ou odiar, o meio termo é que não!!!”
E eu, sou exactamente assim.
Ter alguém só por ter?? Não muito obrigada. Graças a Deus se quisesse isso, não teria a mínima dificuldade: não é falsa modéstia, sei o que valho.
Quanto aos homens….Não tenho dúvida que faria feliz o meu amigo: sentia-me capaz disso. Mas há coisas que simplesmente não dependem de nós, e essas têm que se aceitar.
Este caso ilustra o “homem bonzinho que leva com as sacanas/putéfias deste mundo”.
Este tipo de homens corresponderá talvez… a 10% do total dos machos latinos.
Os outros??
A maioria são uns predadores meio desdentados, carapaus de corrida armados em tubarões.
Alguns têm a lata de aparecer nas revistas a “dar uma” de pais de família exemplares quando eu conheço as suas amantes!!!
Para esses, não há tempo a perder: ridicularizá-los é a melhor maneira de os afastar.
O homem ideal??
Não existe, tal como não existe a mulher ideal.
Eu…Na minha solitária posição, espero tudo, ou nada.
Depende da disposição com que acordo.
Mas uma coisa sei: “quero amar ou odiar, o meio termo é que não!”
Isabel

HOMENS??? DAHHHHH!!!!


Eu sou uma mulher forte.

A única coisa de que tenho medo na vida é de perder as pessoas que AMO: nomeadamente as minhas filhas e amigos/familiares próximos.

Até nisso já ganhei "calo": o meu melhor amigo de faculdade e a minha mãe, deixaram-me quase sem avisar.
Estou tão zangada....Com Deus que me apetece esmurrar o condutor do lado quando faz um pequeno disparate... ou desmembrar um corpo portador de cabeça ôca, quando me aparece à frente.
Depois aparecem-me aqui meia dzia de mariquinhas a fazerem-me "a côrte".

Enjôo!! Que enjÕO!!

1º Não dizem o que querem nem ao que vêm. Dissiimulam o "querer dar uma queca" com amizades e apoios.

2ºNão têm pedalada para mim!!Não são capazes de se assumir nem de assumir nada!!! Têm o rabo preso em casamentos de conveniência, e são tipos de 50 e tal anos com medo de chocar os "filhinhos" se arranjarem uma namorada.

3º Finalmente, tenho momentos em que dou por mim a pensar, se os homens são tão fracos e desprezíveis, porque razão não me imagino a gostar de mulheres??

Fónix, Vodafone TMN que isto é demais!!

Aviso à navegação:Afastem-se de mim que eu estou farta de "mariquinhas pé de salsa"!

Isabel

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

AS CARAS DAS REVISTAS!!


A SOCIEDADE REVISTEIRA!!!!:)

Já não tenho pachorra para folhear as denominadas revistas “cor de rosa”, por aquilo que elas representam.
Estão cheias de pessoas que nunca leram um livro na vida, que nunca fizeram nada de bom para os outros, que nunca aprenderam nem ensinaram nada a ninguém e que “aparecem” quase como forma de sobrevivência: existem enquanto a sua imagem existir nos meios de comunicação!
Fico boquiaberta como existem “Tiaaahhhhhssss” de Cascais com anúncios de prostituição nos jornais e meninas que alcançaram o estatuto de “modelos” subindo deitadas, (dormindo com as pessoas certas), chegando algumas a ter vídeos na internet_ que me abstenho de classificar_, em que se mostram a ter relações sexuais, em todas as poses possíveis e imaginárias, mostrando o interior do corpo até no mínimo, ao intestino delgado _ que não sabem onde fica!LOL!!!
São estas as pessoas que enchem as revistas: para não falar nos Ronaldos e Nereidas afins.
Falta-me referir os “meninos família” endividados até às orelhas, a maioria mantendo casamentos de conveniência, que estão em todas para pelo menos fazer uma refeição à borla….Triste, não é??
E há ainda aqueles que metem os fotógrafos em casa para mostrar as pratas, os jardins e as piscinas que não conseguem sustentar, os que têm o frigorífico vazio mas andam de Mercedes, não perdem uma Corrida TV, uma gala dos Globos ou uma festa no Sasha.
Esta é a sociedade que temos: já no século passado a minha querida avó dizia que se aproximava o fim do mundo.
Talvez o Planeta não esteja quase a explodir, nem um meteoro esteja em rota de colisão connosco, mas a sociedade tal como a conhecemos, está doente, muito doente.
Sei de fonte segura que existem jornais de reputação impecável em que os jornalistas “snifam” cocaína em cima da secretária, juízes do supremo tribunal que entram em orgias em que tudo é possível, e meninas de alta sociedade que fazem aquilo que reles prostitutas do bairro alto não fazem.
Como Cristã não posso condenar. Mas também, como Cristã e não me considerando modelo para ninguém, cabe-me denunciar – aquilo que todos sabem e fingem não saber.
Como dizia a canção bem antiga: “ Vemos, ouvimos e lemos!! Não podemos ignorar!!”
Isabel

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

14 DE AGOSTO DE 2009


Dia da batalha de Aljubarrota e de aniversário da minha pequena!!!!)))
Acordei cansada e com dor de cabeça- estarei a chocar a gripe A?- mas fiquei muito pior quando vi o telejornal!!!
Como faz o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, apenas 3 notas para hoje:

1º Uma manifestação de jovens agricultores que não conseguem montar as suas explorações leiteiras devido a burocracias apesar dos burocratas do Ministério dizerem que "há dinheiro";
Chocou-me ouvir dizer: "as minhas vacas estão a comer fiado!!".
A seguir vão à praia, em excursão de velhos tractores, agradecer aos portugueses o consumo de LEITE PORTUGUÊS e explicar que não podem ter férias porque as vaquinhas não comem areia!!!
Como é possível??? Sabemos que há cotas a cumprir!! Mas toda a gente sabe que há dinheiro vindo da CE que fica pelos corredores dos ministérios e que nunca chega ao destino!!
Este é só um pequeno exemplo do estado em que se encontra a Agricultura Portuguesa…Dá pena não dá???
2º Um dos rapazes que mudou a bandeira nos Paços do Conselho em Lisboa foi constituído arguido. Foi voluntariamente entregar a bandeira do município e ficou detido.
Entretanto o sr. Isaltinho Morais, (sim, são todos uns senhores), condenado a 7 anos de prisão efectiva, anda por aí à solta!!!!!
Parece que o Mundo está virado ao contrário…Ou se calhar sou eu que estou e não dei por isso!!
3º Em França, uma muçulmana foi impedida de nadar na piscina municipal, em “burkini”.
LOL!!:))))
Que desconforto!!
Para quê as burkas??
Uma mulher vestida normalmente pode “excitar” os homens é??
_Claro, até quando somos violadas somos nós que os provocámos, não é isso que costumam dizer para se defender??_
Oh, por favor, tenham dó!!!!
O maior órgão sexual que qualquer um de nós possui é o Cérebro, gaita, ainda não perceberam???
E quanto à excitação masculina…Pelo que tenho ouvido dizer a maior parte da “malta” já só lá vai de “comprimido azul” no estômago…
Enfim: Um telejornal com notícias muito deprimentes…Como de costume.
Uma última nota: o desemprego voltou a subir!
Até quando vamos ter que gramar o Sócrates???
Pensem nisso!
Se for preciso uma revolução dêem-me uma G3 e ensinem-me a trabalhar com ela.
Eu não me importo de ir para a linha da frente.


Isabel

Os MARIALVAS


OS MARIALVAS))))
É uma tristeza que em pleno séc. XXI, num País que se pretende do “1º mundo” ainda proliferem certos espécimes.Deveriam, em minha opinião, estar encerrados em Jardins zoológicos ou Museus!!Há ainda “homens” que tratam as mulheres como “carne no talho”, que as olham com olhares lúbricos, que se aproximam delas através do engano, das palavrinhas certas e bonitas, que se aproveitam de momentos de fragilidade , que as “COLECCIONAM” como troféus de caça!!!Há aqui de tudo:Os fanáticos das amizades coloridas e os apologistas do “one nigth stand”.Não duvido que haja em alguns casos, conivência do sexo feminino: mas não será que estes “senhores” não possuirão esperteza suficiente para distinguir umas de outras??Para se ser respeitado há que se saber dar ao respeito: foi assim que fui educada.Mas há marialvas encapotados, coitados, que não percebem que existem “meninas divertidas”e que há mulheres que não estão para aturar os seus supostos avanços subliminares que apenas pretendem uma noite bem passada??
Sou Ribatejo/alentejana: nasci aqui nesta fronteira. Com 5 anos já acompanhava o meu pai às corridas de toiros.Hoje, as mulheres também toureiam…E há “senhores”, ditos “meninos-família”, que não percebem que…perdoem-me os termos, no final da corrida os toiros foram eles???Acordem homens!Aprendam a respeitar as Mulheres com M maiúsculo!!Nós não somos objectos sexuais: temos Alma, coração, sentimentos e inteligência!!!
Entendam isto de uma vez por todas e comportem-se como Senhores e não como “gajos”.Tenham uma muito boa noite e sigam o meu conselho que serão muito mais felizes!!!
Isabel

sábado, 8 de agosto de 2009

THE STORY


Nasci em 1961 e fui criada numa família conservadora mas moderna para os tempos de então; frequentei a escola particular como na época era suposto, andei no piano e na Alliance Française.
Fui uma menina superprotegida pela família e amigos. Reconheço que entrei para a faculdade sem conhecer a maioria dos palavrões que existem.
Quando fui lançada às feras de uma faculdade, a 90 kms de casa, pela primeira vez longe dos papás, só uma recomendação levei do meu pai: “Porte-se como uma senhora”.
Tive a sorte de não me instalarem num lar de freiras o que me permitiu, com amigas que conheci na altura, alugar um apartamento na zona Central de Évora, perto de tudo, e tive a maior sorte em conhecer os melhores amigos do mundo. Desde o Porto à Madeira conheci pessoas extraordinárias com quem ainda hoje mantenho contactos e que mais do que isso, permanecem no meu coração.
Terminei o curso em 5 anos….Para quem sempre sonhou com medicina licenciar-se em Zootecnia não foi tarefa fácil. As cadeiras de Matemática pareciam não acabar mais….Hoje entendo…A Matemática tanto explica a curva de crescimento de um ser vivo como as mais avançadas teorias da expansão do Universo.
Acabei o curso, vim para casa estagiar numa herdade a 6 kms de casa e ao mesmo tempo comecei a dar aulas visto o estágio não ser remunerado: lembro-me de ir ordenhar cabras às 6 da manhã, tomar um duche e ir dar aulas às 8,30.
Entretanto um dos meus amigos de infância transformou-se em namorado e depois de 5 anos de namoro casei.
O meu casamento foi…..Um sonho realizado. Fui feliz. Muito feliz.
Talvez por isso mesmo, por me sentir a viver um conto de fadas, me senti sem chão debaixo dos pés quando o meu ex me diz, um dia, depois de jantar que queria “ir curtir a vida sozinho”.
A minha filha mais nova tinha na altura 7/8 meses e a mais velha 3 anos.
A sensação que tive na altura foi de ficar a pairar. Sem saber se virava para a esquerda ou para a direita, se tinha lar se não tinha; acho que deixei de saber até o meu nome.
Mas eu sou Forte. Deus quando me “construiu” meteu entre as placas de cimento do edifício umas barras de aço.
Continuei a trabalhar, a amamentar a mais nova, a conviver com amigos, (dava aulas nessa altura no liceu e num curso de tratadores e desbastadores de cavalos) na Chamusca.
Muitas vezes levava a bebé no carro por causa da mama.
A minha vida já estava a flutuar na altura: o marido para um lado, eu e as filhas para o outro; nunca sabia quando ele estava, quando vinha a casa, quando ficava a noite fora….Quando tive as provas da existência de outra pessoa, mandei-o sair de casa. Para sempre.
A vida continuou, a casa manteve-se. A minha sogra não aguentando assistir ao desmoronar da família enfiou-se num avião e foi para África.
De manhã pagava para a vizinha da frente me ficar com a pequenina, a empregada levava a mais velha à escola quando eu não podia e…a minha querida mãe à tarde apoiava-me no que podia.
A vida continuou.
A separação foi em 1999 e o divórcio litigioso em 2002, Abril.
Nesse mesmo ano, após um surto de sintomas que os médicos atribuíam ao stress, descobri por uma TAC e RMN que tinha um tumor cerebral do tamanho de uma ameixa.
Quando percebi, antes até dos médicos me dizerem fosse o que fosse, a minha maior e enorme preocupação e pensamento foi: “ COMO É QUE VAI SER COM AS MINHAS FILHAS?? COMO É QUE VAI SER COM AS MINHAS FILHAS???”
- É incrível como numa situação limite, nos esquecemos de nós, não pensamos no que há depois da vida e só conseguimos pensar em coisas práticas!!_
Quem vai ficar com elas? Se a operação correr mal onde vou ser enterrada?? Etc….
Após uma série de peripécias no HSM e aconselhada pela minha prima médica que fez o favor de me salvar a vida, fui operada num hospital público pelo melhor professor de neurocirurgia que penso existir em Portugal: o Professor António Trindade, colega de curso de outra prima minha mais velha.
Lembro-me de equacionar ir para a CUF ou para o HSM…e a minha prima disse-me: “Preferes ser operada por um médico fresco, de manhã ou por um cansado ao final da tarde? Preferes ter 100 anestesistas, 150 cardiologistas à disposição se algo correr mal ou os 2 ou 3 de serviço como nos hospitais particulares?”
E fui para o HSM: a nível burocrático absolutamente desastrosos: perderam-me o processo “n” vezes e no próprio dia da cirurgia, vi literalmente a minha vida a andar para trás, quando um anestesista com um ar blasé, motard, tipo “tudo na boa” me pergunta: “então o seu tumor é do lado esquerdo não é??”
Eu não caí da marquesa da cirurgia porque não calhou: “ Doutor, eu tenho o tumor no lado direito!! Zona parietal direita!!!” _ eu tinha lido que nos EUA um doente morreu por um engano destes, num livro escrito pelo prof. Lobo Antunes.
O anestesista insistiu: “ mas aqui no relatório, diz do lado esquerdo!!! Só se a dactilógrafa se enganou…Deixa cá ver as TACs…”
Ufffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff………………………………………………
Acordei passadas 6/7 horas e a 1ª coisa que disse foi: “como era o aspecto do tumor?” _ ao que o idiota do assistente me reponde ironicamente: “não tenho microscópio nos olhos!!!!”
Entretanto proibi os meus pais e amigos de me visitarem naquele famigerado 8º piso do HSM: só os meus primos e irmã, os menos impressionáveis lá foram.
Aquele piso era um filme de terror: pessoas acidentadas que não sabiam onde estavam ou quem eram, velhinhos a morrer sós, cheios de Alzheimer, estudantes universitárias e jovens mãe com tumores malignos a fazer quimioterapias e… cabeças agrafadas por todo o lado.
4 dias de internamento depois, tive alta. Estava tão fraca e tonta que desmaiava sentada.
Fui recuperar para casa da minha querida mamã e… com aquelas comidas óptimas…e ao fim de saber os resultados das biopsias e sentir-me com um pouco mais de força fiz as malas e praia…De chapéu na cabeça claro..nem podia molhá-la no mar.
A vida retomou o seu curso, Graças a Deus e a todos quantos me apoiaram.
Entretanto em final de 2003, altura do Natal, soube que o meu melhor amigo de faculdade estava com uma LMC.
Uns dias melhores, outros piores, a ser tratado com o que a Ciência propõe de mais moderno, durou 3 anos, sempre a trabalhar e de sorriso nos lábios como era seu apanágio.
Em 2006 piorou e foi internado para a última tentativa: transplante de medula.
Não resistiu.
Durante 3 meses de internamento_ ele que estava tão afeiçoado à sua casa de Évora recém remodelada_ nunca se queixou. Eu falava com a sua mulher e minha melhor amiga 3X por dia e ela só me pedia para rezar por ele.
Ainda me despedi dele: combinámos umas jantaradas em Monsaraz bebendo uns belos tintos alentejanos.
Faremos isso, se um dia o encontrar: o que duvido, ele era 1000X melhor pessoa do que eu.
Nesse fatídico ano de 2006, duas grandes amigas minhas adoeceram com cancros graves e raros.
Estão no meu coração e nas minhas orações. Estarão sempre.
Entretanto o meu pai e posteriormente a mãe tiveram enfartes. Durante uns tempos não fiz mais do que dar aulas, tomar conta das miúdas e correr para Lisboa para os ver.
Em 2008 a mãe descobre que tem cancro da mama.
De novo entraram em acção os melhores médicos do País: o director do IPO na altura, Ricardo Luz, o dr. Santos Costa, o cirurgião Canto Moniz, a Dr.ª Sofia Braga, foram todos inexcedíveis. O que não impediu que a mãe, depois de ter passado por uma cirurgia conservadora, 6 quimioterapias, 33 sessões de rádio e de ter recebido os parabéns dos médicos, tivesse partido um mês depois de ter sido “declarada” curada.
Creio que morreu em Paz: pedi às enfermeiras para nos darem um quartinho, rezei o terço com ela como ela fazia todos os dias e vi-a deixar de respirar.
Levantei-me calmamente e chamei o pessoal de serviço: sim, a mãe tinha partido.
A vida teve que retomar o seu curso.
As minhas filhas aceitaram a partida da avó: creio que o facto de serem Cristãs as ajudou a perceber tudo melhor.
Voltei a trabalhar depois da semana de luto.
Dentro de mim cresceu um cardo horrível chamado revolta.
Não consegui voltar a ser a “menina pacífica” que me educaram para ser.
Durante este período que relatei da minha vida tive 3 ou 4 namorados que não sei como , fizeram sempre o favor de não estar presentes quando eu mais precisava.
Peanuts.
Depois disto, tudo o resto são peanuts.
Depois de ter escrito isto, de ter feito a catarse das mágoas, não me parece que precise mais de psicólogos.
Apenas uma conclusão consegui tirar desta história que é a minha: eu sou uma MULHER FORTE.
Ao lado de uma mulher forte não pode nunca existir um homem que se esconda atrás das trincheiras.
Por isso, “mes amis, mes amours”,nem aqui nem em lado nenhum procuro nada.
Apenas ambiciono a Paz de Espírito e a Aceitação da vida como ela é.
Não se admirem se as respostas por vezes forem “tortas” ou as palavras mais duras e com as letras todas: como eu disse, cresceu um cardo dentro de mim.
Perdoem se houver alguma coisa a perdoar.
Esta sou eu sem espinhas nem osso.
Beijos a quem me lê.

Isabel