Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

segunda-feira, 15 de março de 2010

SWITCH MY EMOTONS OFF!


SWITCH MY EMOTIONS OFF.

Há dias assim.
Dias em que apetece dar estalos na ministra da educação, desancar o Sócrates, o ministro das finanças, o da justiça… e a seguir…emigrar.
Há dias em que não há pachorra para a maioria das manadas de estúpidos que falam sem conhecimento de causa, em que não há “cu” que aguente tanta estupidez junta!
Pelas minhas leituras, internéticas ou não, passam comentários , causas, petições e mais uma imensidão de coisas vãs e irritantes, inócuas ou não, desgraçadamente reais e dolorosas como o suicídio de um aluno e de um professor.
Se nas mãos de um médico se encontra por vezes a vida de um doente, pelas mãos dos professores e mais ainda, pelas mãos dos pais, passa a vida e o futuro de um País.
Daqui se depreende que as coisas que vemos, ouvimos e lemos, não podem de modo algum deixar-nos indiferentes.
É verdade que a fragilidade emocional pode levar à depressão e ao suicídio. Mas também é verdade, e qualquer “psi” de meia tigela o sabe, que há depressões endógenas e exógenas!
Há depressões que insidiosamente se instalam no dia a dia do nosso trabalho, nos desmotivam, nos magoam, nos ofendem, nos fazem duvidar e até mesmo perguntar: “o que é que eu estou a fazer neste filme”?
O suicídio é o salto final de um filme que não nos agrada. Quanto a isso não tenho dúvidas.
Tenho alguns colegas de baixa por “esgotamento”. É verdade que a profissão de professor é das mais stressantes e neste momento, desmotivantes, que se pode conceber.
O facto de não podermos _ sequer_ ,pregar uma boa palmada nas mãos de um aluno que brinca com o telemóvel ou que chateia o colega enquanto leccionamos é frustrante.
Assim como é frustrante ir todos os dias para o local de trabalho sabendo que de alguma maneira, ao estabelecermos metas de sucesso estamos a perverter um sistema que deveria ser justo e isento.
Qual a razão que me obriga a “dar 75% de notas positivas” à disciplina que lecciono?
Mas a escola é alguma fábrica de rolhas?
Será que o sucesso de alunos depende exclusivamente de mim??
OK: então nesse caso, obviamente que a minha meta é 100% de sucesso ou então.. Simplesmente Não FAZ SENTIDO!!!
Fez-se a uma petição para a implementação da “falta de castigo”. A falta de castigo existe, claro! Só que a burocracia é tanta, são tantos os papeis a preencher que às vezes nem vale a pena pôr o aluno na rua!!….Até porque o mais certo,é o dito cujo, ser devolvido à procedência!!! Sim…Porque agora já não há “rua” nem os alunos “chumbam” por faltas!!
Existe sim um “gabinete de atendimento ao aluno”onde este deve permanecer quietinho a fazer uma ficha ou um trabalho indicado pelo docente que o expulsou…acompanhado por outro desgraçado docente em “tempo de escola”.
(A maioria das vezes os alunos fogem às funcionárias e acabam por não chegar ao dito gabinete.)
E quando fogem podem dar pontapés nas portas, cacifos, e chamar todos os nomes que conhecem aos profs e funcionários. E quanto a isso?.... Batatas.
Esta porcaria de sociedade está cheia de injustiças. Aquelas mesmas injustiças que se vivem nos divórcios em que quem sai de casa para ir “curtir a vida” tem todas as benesses e direitos, maiores ainda, do aquele que ficou no seu posto, criando os filhos e sacrificando a sua carreira,_ com muito gosto_, obviamente, porque não há maior Amor do que o de mãe ou pai.
Como em tudo na vida, há Homens e espécimes de raça humana.
Como em tudo na vida… há Pais e paizinhos.
PS: parece que nada, neste texto, tem a ver com nada, mas quem me conhece sabe do que falo. E não…Não andei a fumar ganzas! Antes o tivesse feito!!!..

Isabel.