Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Amigos virtuais???? Upsss....


A importância dos amigos virtuais.

Eles estavam almoçando num restaurante sofisticado, indiano.
Ele, como sempre, impaciente com a demora do serviço.
Ela, descontraída atira-lhe com um : “ relaxa! Curte o momento! Estás de fim de semana! Vive com calma!”
Ele resmunga qualquer coisa.
Ela, que raramente o visitava a Lisboa: era sempre ele que ia à terra dela visto até ter lá casa de família, estava a tentar aproveitar ao máximo os momentos fora de casa sem preocupações de maior.
Às tantas, ela diz “ A minha amiga “xyz” é uma querida! Vê la que se ofereceu para me acompanhar ao médico! Devíamos combinar qualquer coisa com ela”
Ele atira: “ Mas tu só a conheces do facebook! Como sabes que é tua amiga???”
Ela responde tentando manter o tom de voz suave. “ é minha amiga sim, há mais de 2 anos!! Já estive doente e foi a única pessoa que me telefonou!”
Ele irritado, grita-lhe “ Disparate!! Isso é tudo um disparate pegado!! Como podes dizer que tens amigo do fB se nunca os viste se nunca lhes tocaste, se nem sabes que são reais??”
Ela diz: “ mas eu já tive provas de que são meus amigos…. Fiz até um grupo para ajudar alunos com um colega da minha área…e falo com ele sobre tudo, é mesmo um amigo de que gosto imenso! E não te preocupes porque é gay!!”
Ele fica histérico! Paga o almoço e levanta-se da mesa resmungando. “ amigos? Amigos? Eu não tenho amigos!! Isso não são amigos reais!! “
Ela responde: “ mas lembras-te que , apesar de nos conhecermos desde miúdos,  foi através do FB que me engataste???... Além do mais, nem podes falar muito! Afinal tiveste uma namorada brasileira que conheceste via FB! LOOLLLJ))”
Saem do restaurante….
Ela fica para trás com a sensação, ou melhor, com as palavras a ecoarem-lhe no coração: “mas o que é que eu estou a fazer neste filme????”
Entram no carro. Ele furioso com os olhos a chispar de raiva.
Ela calada.
Tinham combinado passear por Lisboa essa tarde.
Ele acelera o carro, mete-se na auto-estrada direito à terra dela,  qual seta motorizada.
Passados 100 kms ela diz: “ importas-te de me deixar no meu carro??”
Ele fá-lo, sem uma palavra.
Ela sai do carro, bate a porta e apenas diz: “felicidades”.
Ele arranca a toda a velocidade de volta a Lisboa.
……………………………………………………………………………………………
E foi assim que terminou uma relação de 7 meses, cravada de declarações de amor, apresentações à família e  ofertas de anéis de compromisso.

Isabel.