Visualizações de páginas no último mês

Amazon MP3 Clips

domingo, 23 de dezembro de 2012


Os homens do sec XXI

Partindo do princípio que a perfeição não existe, só Deus é perfeito e mesmo assim, foi incompreendido e crucificado, fica aqui uma colectânea de “cromos” do sec XXI que tenho tido o desprazer de conhecer:
  • Os casados.
Há de dois tipos: os impecáveis_ que são os que aprecio_ , e os predadores que sempre que se lhes apresenta oportunidade, tentam dar uma dentadinha na maçã, ou melhor, uma facada no Santo Sacramento do matrimónio;
Esses, os tais casados do 2º tipo, passam noites inteiras no FB enquanto as “legítimas” ressonam ao lado. Uns tristes, a bem dizer.

  • Os tarados
Começam com conversas simpáticas e normalíssimas e …passados uns minutos estão a perguntar-nos se montamos bem…e se usamos esporas e….a baixar de nível tão rapidamente que são bloqueados na hora; Dá-me ideia que são apreciadores de cenas sado-maso…Ou melhor, doentes mentais, MESMO!

  • Os viciados em trabalho
Trabalham 20 sobre 20 horas, são muito inteligentes e cultos, normalmente desportistas, e têm uma vida tão,  mas tão atarefada,  que embora digam apreciar-nos imenso, nunca dispõem de meia hora para mostrar a sua “apreciação” e o seu “gosto” por nós.
Chego a crer que estão num estadio de vida em que já passam bem sem amor (no sentido restrito) e sem sexo… A não ser que tenham insufláveis em casa. (Essa parte, nunca pergunto)J))

  • Os “ putos”
Olham para uma mulher de 50 anos, divorciada, com  filhos criados,  e se ela ainda estiver “em forma”, metem-se com conversetas de treta esquecendo aquela máxima: “não se ama quem não ouve a mesma música, leu os mesmos livros ou viveu os mesmos tempos)”.
Acham “giro” uma aventura com uma cinquentona, para eles desesperada, e vai daí, vale tudo menos tirar olhos para a conquistar.
Têm azar. Não tenho pachorra para mais que 10 minutos de conversa com estes espécimens.

  • Os aldrabões
São, no início difíceis de detectar porque trazem a lição bem estudada: antes de nos abordar procuram informar-se de tudo sobre nós…e gostam de tudo o que nós gostamos! What a coincidence!LOLJ
Após 2 ou 3 conversas, juram pela “mãezinha deles” que estão apaixonadíssimos, fazem tudo para nos conhecer e acabam das duas uma: ou desmascarados na hora …ou…tentando invadir o nosso espaço vital controlando tudo, tipo hipopótamo em loja de cristais.
São corridos a tiro,  em menos de uma semana.

  • Os bons-vivants assumidos
Estes exemplares, normalmente, não demoram muito tempo a mostrar ao que vêem e o que querem;) Tem essa vantagem, não enganam ninguém. Embora não deixem de tentar uma aventurazita, sabem “levar com os pés” e….por vezes acabam até por se tornar bons amigos…. Enquanto isso,  vão apreciando os traseiros das menos vestidas;))))
  • Os desavergonhados
Dizem amar-nos muito, mas quando damos por nós, a nossa casa é a casa de férias e de fim de semana deles:  pagamos-lhes os cafés e os jantares por causa da crise,(como se a maldita não atingisse senhoras),  e …quando nos convidam para os ir visitar (porque a mãe foi viajar), somos nós que levamos a comida.
A esses,  chegamos a emprestar dinheiro que nos faz falta … que às vezes vimos a descobrir que não foi para arranjar “o pneu do carro” mas para ir ao jantar XPTO com a prima ZHY e, Cascais, tá a ver?;) Pois.
Pontapé no traseiro e …ala com eles.

  • Os traumatizados da vida
Surgem como “anjos descidos do céu”, cheios de virtudes: bons donos de casa, sabem cozinhar, querem-nos como mulher/esposa (e acabamos como governanta), oferecem-nos anel de compromisso e apresentam-nos aos filhos….e… após o 1º mês de convívio começam a mostrar quem realmente são: “ pois, eu nunca vi o meu pai dar um beijo na minhja mãe!”…ou “ pois, o meu pai nunca me pegou ao colo!....”.
Têm ataques de histeria, gritam que nem desalmados e,  ora são simpáticos,  ora estão hiper mal-dipostos e neuróticos!… E…. se nós , delicadamente lhe aconselhamos um psicólogo, mandam-nos para todo o lado menos para onde queremos de facto ir.
Para esses, um pontapé bem dado no traseiro na altura dos ataques de fúria, e resolve-se o assunto. Estes tipos são perigosos, porque são muitos, andam por aí caladinhos…. e só são descobertos depois do 1º mês de convívio. Pra mim são bi-polares e não sabem: nem virão a saber pois têm a característica de odiar médicos e tudo o que tenha a ver com ciência.
  • Os Tesos
São super simpáticos, aparentemente normais e de humor estável… só que… vivem longe, e,  nem nós nem eles,  temos nenhum “chinês” que nos faça uma OPA que nos permita chegar ao conhecimento “face-to-face”.
Nos diálogos com estes espécimens, não costuma haver mentiras nem tretas…apenas a distância física e uma pequena tristeza por não a poder superar,  porque, normalmente apesar de cultíssimos e licenciados…estão no desemprego. E assim se passam anos de amizade virtual porque a distância assim exige e a filha da mãe da crise,  assim obriga!!!.....


E ASSIM VÃO OS HOMENS PORTUGUESES DO SEC XXI!!!
Bem caracterizados não???
Pode ser que algum dia um sociólogo como a Maria Filomena Mónica me ajude a fazer um estudo mais profundo!!!
BOAS NOITES!!!

Isabel.